Últimos artigos

Como o financiamento coletivo pode ajudá-lo a colocar um projeto em prática

Se você tem uma boa carta na manga e uma boa ideia para desenvolver um negócio, mas não tem capital ou mesmo com pouco dinheiro ainda não conseguiria dar o pontapé inicial, saber o que é financiamento coletivo pode ser a informação que você precisava para concretizar o seu desejo.

O Crowdfunding, ou “vaquinha virtual” como é chamado quando esse tipo de financiamento é feito através de sites especializado na Internet, tem ajudado desde empreendedores que querem encontrar financiamento para suas ideias a artistas que buscam por apoiadores para seus projetos.

O modelo de crowdfunding vem ganhando espaço no mundo inteiro e já é o responsável pelo nascimento de muitos negócios que o idealizador ou idealizadores, não tinham capital suficiente para montar. Muitas startups de sucesso são exemplos disso.

Um dos casos mais conhecidos de financiamento coletivo de produtos foi a ideia que transformou o iPod Nano em um relógio de pulso, uma ideia simples que “ganhou o coração” de investidores. O projeto foi apresentado em um site especializado neste tipo de financiamento e recebeu doações de milhares de pessoas, levantando em pouco tempo o valor de U$ 1 milhão.

Por isso, saber o que é financiamento coletivo pode ser a grande saída para você que tem uma ideia inovadora, seja ela de produto ou serviço, no mundo físico ou virtual. Vamos lá?

79_financiamento_coletivo1

Como funciona o financiamento coletivo

O modelo de financiamento coletivo funciona através de uma ação para captação de recursos e para o posterior desenvolvimento de um projeto, através de diversas fontes de financiamento. Essas fontes de financiamento podem ser pessoas interessadas em ver essa ideia transformada em realidade, para terem acesso ao produto ou serviço, investidores interessados em uma boa opção de investimento ou as duas coisas, sem uma invalidar a outra.

O processo, quando conduzido pela Internet, é dividido em quatro etapas:

  • Elaboração da proposta e apresentação do projeto
  • Determinação do valor a ser conseguido através do financiamento coletivo
  • Divulgação do projeto através das mídias sociais e outros meios online
  • Avaliação dos resultados para saber se a iniciativa teve sucesso ou não

De maneira geral, o projeto é apresentado e uma meta de arrecadação estipulada, para que, uma vez atingida, o projeto seja viabilizado. No caso desta meta não ser atingida, o projeto não será financiado e o valor arrecadado retorna para os doadores.

Não fique surpreso com essa velocidade toda, pois é justamente essa a ideia do negócio: simples, rápido, eficiente, e sem dor de cabeça.

Como criar um projeto de crowdfunding

Agora que você já sabe o que é financiamento coletivo e como ele funciona, vamos ver como estruturar um projeto desses.

Pra começar, você precisa ter uma boa ideia, inovadora e original que empolgue o público e lhe pareça viável. Parece óbvio, mas é importante destacar isso, pois não adianta ir para uma plataforma de financiamento coletivo para dizer que você quer montar um negócio, mas está sem dinheiro. Esse é o problema de milhões de brasileiros e para isso existem outras soluções.

A ideia de negócio precisa ser inovadora e ter apelo popular, pois é isso que faz com que as pessoas contribuam com o funcionamento do projeto e que investidores passem a acompanhar seu desenvolvimento. Se você apresentar um projeto que seja apenas um pouco mais do mesmo, a chance de sucesso é praticamente inexistente.

Definido o projeto, você precisa detalhá-lo para que as pessoas saibam exatamente do que você está falando. Criar um bom vídeo explicativo, com não mais que cinco minutos e de ótima qualidade é a melhor forma de fazer isso.

Sabendo o que é financiamento coletivo, o tipo de ideia viável para esse tipo de captação de recursos e o material para apresenta-lo, é hora de apresentar este projeto ao público, e a melhor forma de fazer isso é a Internet, através das plataformas de financiamento coletivo, sites especializados neste tipo de captação.

Quais os sites mais indicados para propor um financiamento coletivo

A mais conhecida das opções é a Kickstarter, responsável pela viabilização de milhares de negócios nos últimos anos. É o lugar ideal para você fazer uma pesquisa e ver, em função dos projetos que estão atingindo suas metas de captação, se a sua ideia de negócio se adapta a esse modelo de captação de fundos.

Mas aqui no Brasil também já há alguns sites interessantes. É importante que você entre em cada um deles e veja quais são as condições e regras de cada um, pois elas pode variar bastante. Alguns desses sites arrecadaram mais em meio à crise, conforme mostrou a revista Pequenas Empresas Grandes Negócios. Veja só:

1. Catarse – www.catarse.me (em português)

A alternativa nacional oferece plataforma para várias categorias de projeto.

Com apenas três anos de existência, o serviço já arrecadou mais de 5 milhões de reais para mais de 500 projetos em todo o país.

O método usado para arrecadação é o tudo ou nada. O Catarse cobra 13% da quantia arrecadada caso o realizador alcance a meta.

2. Kickante – www.kickante.com.br (em português)

O site abriga várias iniciativas de impacto social, como Médicos Sem Fronteiras, WWF e Greenpeace.

Além das causas sociais, aceita projetos criativos e de empreendedores. As campanhas são nos modos tudo ou nada e flexível.

Cobra 15% sobre a arrecadação em campanhas flexíveis que não tenham alcançado a meta ou 12% nos projetos bem-sucedidos.

3. Benfeitoria – www.benfeitoria.com (em português)

Reúne iniciativas em categorias como cidades, cultura e arte, educação, inclusão social, saúde e bem-estar.

Como o site não recebe nenhuma comissão sobre o dinheiro arrecadado, sua forma de gerar receita é baseada em doações, parcerias e serviços extras especiais, como consultorias, produção de vídeo e divulgação.

4. Juntos.com.vc – www.juntos.com.vc (em português)

O Juntos.com.vc é dedicado exclusivamente a ações sociais. A plataforma já ajudou a financiar mais de 60 projetos de ONGs e pessoas físicas.

Não há cobrança de comissão dos projetos bem-sucedidos, mas há taxa de administração para receber as doações por MoIP e as campanhas são na modalidade tudo ou nada.

5. Bicharia – www.bicharia.com.br (em português)

Ajuda na arrecadação de fundos para projetos que levam a bandeira das causas dos animais.

O serviço cobra 10% do valor arrecadado, mais a taxa do MoIP, quando as iniciativas são financiadas.

O dinheiro é passado ao realizador quando atinge 50% ou mais da meta. Caso contrário, é devolvido aos apoiadores.

6. Queremos! – www.queremos.com.br (em português)

Além de atender aos fãs interessados em ver uma apresentação de sua banda favorita na cidade, o serviço é dedicado a artistas e produtores que precisem de apoio para realizar turnês e shows.

O espetáculo somente acontece se o valor mínimo para viabilizar o show é alcançado, e o dinheiro é devolvido em caso contrário.

7 dicas essenciais para ter um projeto de sucesso

Dicas do advogado especialista em direito eletrônico e especialista em crowdfunding Vinícius Maximiliano.

1. Comece sua campanha antes mesmo de apertar “publicar”

É muito importante você angariar e conscientizar as pessoas previamente sobre um potencial projeto, iniciativa ou produto. Um site, uma página nas redes sociais falando sobre o assunto, entregando algum conteúdo útil e gratuito, será um grande estímulo para o público.

2. Atenção às leis e impostos

Os valores que circulam em projetos de financiamento coletivo estão sujeitos a tributação, especialmente se forem para pré-venda de produtos, serviços ou investimento em empresas. Por isso, lembre-se de ter um bom contabilista especializado em empresas digitais para evitar surpresas desagradáveis e um bom advogado focado em direito eletrônico e contratos para ajudar na formatação dos termos da campanha, forma, envio de recompensas e coisas do gênero. Ah, e considere a possibilidade de abrir um CNPJ para sua campanha e uma conta bancária exclusivamente para movimentação de dinheiro. Assim, evita misturar tudo com seu CPF e seu Imposto de Renda.

3. Escolha a platarfoma correta

Esse ponto é o mais crucial! Dependendo do tipo do seu projeto, estar em um site de nicho pode fazer toda a diferença. Plataformas mais direcionadas muitas vezes atendem mais os objetivos e dão um suporte diferenciado ao dono do projeto, desde a criação até o fim da campanha.

4. Números simples e claros

Um grande número de campanhas, mesmo quando bem sucedidas, acabam falhando na conclusão do projeto em razão das projeções financeiras serem furadas. Para isso, peça ajuda a um contabilista para estruturar corretamente os custos. Tenha em mente que você precisa:

  • Pagar todas as recompensas e enviá-las corretamente;
  • Recolher todos os impostos devidos;
  • Despesas de marketing consideradas no orçamento ;
  • Despesas com sua equipe (vídeo, advogado, contador);
  • Taxa de sucesso das plataformas (entre 10% a 15%);
  • Margem de segurança de 30% para gastos imprevistos na aplicação do projeto.

5. Escolha suas recompensas com carinho

O tipo e o custo da recompensa são cruciais para o sucesso da campanha. Afinal, as pessoas querem algo que as faça lembrar do que fizeram. Isso não significa recompensas caras, mas sim recompensas originais. Não esqueça de calcular o frete de envio, afinal, você pode ter doadores de qualquer lugar do país e até do exterior.

6. Se apresente com um vídeo

O vídeo deve ser simples e curto (nada maior que quatro minutos), mas cuidado com o amadorismo! Você não precisa ter uma equipe de filmagem profissional, mas ter pelo menos um bom som e uma iluminação adequada faz toda a diferença e mostra respeito pelo tempo do seu público.

7. Os primeiros 30% são 100% essenciais

Análises de diversas campanhas comprovam que 30% dos fundos arrecadados são da sua família e amigos, portanto, garanta que esse apoio ocorra, especialmente nos dias iniciais do projeto! Essa alavancagem, além de lhe motivar ainda mais, vai tornar seu projeto viral e rastreável pelos motores de promoção da plataforma, e mostrar que você tem potencial arrecadatório.

79_financiamento_coletivo2

Em resumo

Você viu nesse artigo que:

1) O Crowdfunding é feito através de sites especializado na Internet, tem ajudado desde empreendedores que querem encontrar financiamento para suas ideias a artistas que buscam por apoiadores para seus projetos;

2) O modelo funciona através de uma ação para captação de recursos e para o posterior desenvolvimento de um projeto, através de diversas fontes de financiamento;

3) O espírito do financiamento coletivo é ser simples, rápido, eficiente, e sem dor de cabeça;

E ai, dúvidas esclarecidas? Surgiu algum outro questionamento? Utilize o nosso espaço de comentários! Até o próximo artigo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>