Últimos artigos

Dicas valiosas para conciliar emprego e negócio próprio com tranquilidade

Se você está com uma boa ideia na manga para transformar em negócio, mas de alguma forma está ligado à um trabalho formal, saiba que há maneiras de conciliar as duas atividades. Esse dilema não é único, na verdade, ele aflige muita gente que por algum motivo não aguenta mais trabalhar para os outros, ou por querer ter uma expectativa de renda complementar.

Abrir o próprio negócio, mesmo que com pouco dinheiro, é possível. Por isso, vamos mostrar neste artigo algumas dicas valiosas para conciliar emprego e negócio próprio com tranquilidade. Possível é, mas é preciso uma dose extra de esforço.

A discussão é importante pois, para algumas pessoas, essa é uma situação que gera insegurança, mal-estar e para alguns chefes é motivo até de desconfiança, e não raramente, atritos no trabalho.

Geralmente, ter um emprego garantido ali nos primeiros meses do novo negócio é uma chance de manter uma renda para arcar com os investimentos iniciais. Já outras pessoas buscam essa situação por medo de que o negócio não prosperar, em especial quando falamos de uma época de economia desacelerada como a que estamos vivendo. Se tudo der errado na nova empreitada, pelo menos ainda existe a opção de continuar em seu emprego e com isso garantir uma renda mensal.

Se essa situação tem suas vantagens, em especial econômica, bem certo também que existam desvantagens no meio do caminho: sobrecarga, stress, sacrifício do lazer, cansaço e distanciamento dos amigos e família são alguns exemplos. Além disso, por não poder se dedicar em tempo integral a nova atividade, certamente aumentará o tempo da curva de aprendizado e plena operacionalização do negócio.

É importante ressaltar que alguns negócios exigem atenção exclusiva. Por isso, antes de tentar ter uma dupla jornada, analise sua situação e veja se é possível conciliar as duas atividades com tranquilidades. Se a resposta for sim, veja as dicas que separamos.

Vamos lá?

76_conciliar_emprego2

Como conciliar o emprego e negócio próprio

A Revista Exame ouviu alguns especialistas que dão dicas. Veja só:

1. Tenha paixão pelo empreendimento

Ter iniciativa para manter o empreendimento é ainda mais difícil quando você não é apaixonado pela ideia. “A pessoa se dedica ao que ela gosta, porque arranja a energia necessária para lidar com o trabalho. Se é para tocar alguma coisa em paralelo, toque alguma coisa que você goste”, aconselha Marcelo Sinelli, consultor do Sebrae.

2. Invista em organização e eficiência

Para conciliar negócio próprio e trabalho, você tem que saber fazer várias coisas ao mesmo tempo sem se estressar. Segundo Leticia Menegon, da Incubadora de Negócios da ESPM, o futuro empreendedor deve conversar com outras pessoas e analisar os feedbacks no trabalho: se ele já não dá conta nem das suas atividades na empresa, deve repensar a ideia de ter um negócio.

Já Sinelli ressalta que é preciso otimizar o tempo ao máximo e que a necessidade do negócio não deve ser subestimada. “Você tem que afiar muito mais o machado do que alguém que se dedica integralmente”, diz.

3. Faça um planejamento

Assim como pedir demissão precisa de planejamento, ao se deparar com esse dilema também é necessário se planejar.

O negócio não nasce do nada, diz o professor Marcos Martins, do Ibmec-RJ. A fase de planejamento serve para que o empreendedor veja quanto de tempo e dinheiro deverá ser investido. Isso inclui, segundo ele, fazer pesquisas de mercado, viajar para contratar empresas e evitar determinado fabricante.

Para o consultor Sinelli, “quando o problema surge, o empreendedor em tempo integral já resolve na hora. Para quem concilia negócio e trabalho, o problema só será atacado quando der: no final da noite, no final de semana. O planejamento deve ser muito mais minucioso”.

Quando você trabalha em tempo integral em seu negócio, qualquer problema que surja, você está a frete do negócio para resolver. Se você tem um emprego, a solução terá que ser adiada para a noite ou finais de semana, por exemplo.

4. Não se esqueça da ética

Se você pretende cobrar compromissos éticos dos seus colaboradores, comece por você mesmo em seu emprego atual. O horário dedicado à empresa onde você trabalha deve ser exclusivamente dedicado às questões da empresa e nunca usado para resolver questões que envolvam o seu negócio próprio.

“Um grande obstáculo é a capacidade que a pessoa vai ter de separar os dois mundos. O empreendedor tem que lembrar que, enquanto trabalha as oito horas diárias, ele tem que se dedicar àquele tempo. Não pode usar para benefício próprio. É antiético”, diz Martins.

Já Leticia recomenda uma conversa franca. “É sempre importante conversar com o seu chefe e falar que você está abrindo sua empresa, além de assegurar que sua produção não irá diminuir com o novo negócio. Não deixe o chefe descobrir pelos outros”, explica.

Se não der para ser assim, saia do emprego e assuma full time o seu próprio negócio. É melhor sair de forma digna do que ficar marcado no mercado como um profissional que usava o tempo da empresa em que trabalhava para cuidar do seu próprio negócio.

Se o seu chefe vier a descobrir por vias transversas, sua situação ficará bastante prejudicada na empresa, podendo até mesmo rolar uma desconfiança. Por isso, a melhor alternativa é jogar limpo e deixar tudo muito claro.

5. Faça (e mantenha) contatos

Segundo o consultor Sinelli, você deve trabalhar de uma maneira inteligente e se cercar de pessoas que ajudam seu processo a caminhar. Se você não pode trabalhar com funcionários, faça parcerias, tenha uma rede de contatos muito bem estruturada e encontre gente que resolva os problemas da sua empresa. “Quando você se dedica aos dois, trabalho e negócio, você não deve ficar muito tempo procurando, mas já ter contatos na mão quando precisar”.

Já Martins ressalta que os contatos não dizem respeito só ao seu negócio. “Como manter isso de uma forma aceitável, profissional, sem que um trabalho toque no outro? Você precisa se relacionar bem com as pessoas envolvidas nesse novo negócio e se envolver também com a empresa onde está empregado”.

6. Treine adequadamente e confie nos outros

É fato que você não estará disponível para o seu negócio durante todo o dia. Por isso, talvez seja necessário treinar pessoas e terceirizar tarefas.

“Você vai ter que capacitar e confiar nas pessoas que estão à frente, e abrir mão de alguma gerência e da liderança ao longo do dia”, diz Martins. Ele também recomenda que, mesmo com o conforto de um emprego e de uma renda mensal, o empreendedor busque ajuda com consultores e com órgãos como o Sebrae.

7. Tenha muita disposição

Ter duas atividades vai requerir um cuidado com a saúde física e emocional. “Não ter isso pode acabar atrapalhando todos os seus trabalhos”, adverte Martins.

Para Sinelli, sua empresa só decola quando você cuida do negócio, e não dá para ficar esperando a empresa dar certo para investir seu tempo nela. “Conheço muitos que passaram por essa situação de trabalhar e ter um negócio e foram bem sucedidos, mas tem que ter muita vontade, ainda mais do que competência. Vai abrir mão do final de semana, da balada, de muitas coisas”, recomenda.

Para concluir a tarefa de conciliar emprego e negócio: apoio com sua família

Mesmo ciente que talvez alguns sacrifícios precisem ser feitos para conciliar emprego e negócio próprio, não deixe de contar com o apoio da família para essa tarefa. Essa sustentação certamente dará uma forcinha para tocar o negócio.

Tente envolver seus familiares neste desafio, pelo menos nos primeiros meses, até que você decida a hora de largar o seu emprego.

Os familiares são importantes, inclusive, para que você possa programar os momentos de descanso. Afinal de contas, ninguém é de ferro. Sempre é importante lembrar que não há sucesso profissional sem um bom equilíbrio com a vida pessoal. Por isso, reserve um tempo para descansar, seja em períodos curtos durante o dia, ou mesmo um momento na semana para um relaxamento total do corpo e da mente. O hábito de ler, praticar esportes, ou mesmo programar as refeições em família pode ajudar bastante.

76_conciliar_emprego1

Resumo para finalizar

Você viu aqui neste artigo que:

1) A discussão sobre conciliar emprego e negócio próprio é importante pois, para algumas pessoas, essa é uma situação que gera insegurança, mal-estar e para alguns chefes é motivo até de desconfiança, e não raramente, atritos no trabalho;

2) Montar um negócio próprio é o tipo de coisa que você não consegue esconder durante muito tempo em seu trabalho. Não há como conciliar o emprego com um negócio próprio sem que ninguém saiba ou pelo menos desconfie, não é mesmo?

3) Para conciliar negócio próprio e trabalho, você tem que saber fazer várias coisas ao mesmo tempo sem se estressar;

4) Fazer um planejamento é fundamental para qualquer iniciativa de negócio, mas se você não estará à frente em tempo integral, esse planejamento precisa ser mais minucioso ainda.

E ai, o que achou do artigo? As informações que separamos foram úteis? Utilize o espaço dos comentários para dizer o que achou, e também para sugerir outras soluções e dicas importantes nesse processo todo. Até o próximo artigo!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>