Últimos artigos

Empreendedorismo e seus significados

“’Empreendedor’ é o termo utilizado para identificar o indivíduo que dá início a uma organização”

Esta sentença acima é o que você vai ler imediatamente após digitar o termo empreendedorismo na Wikipedia. O termo foi criado na França há uns dois séculos, e, desde então, tem sido usado quase sempre associado ao mundo capitalista.

Se você continuar lendo o que a Wikipedia diz, perceberá que o conceito se amplia ao longo do texto, com definições de Schumpeter que considerou esta característica fundamental dentro de sua Teoria da Destruição Criativa, e de nosso contemporâneo Peter Drucker, que afirma ser a característica que um indivíduo tem de aproveitar oportunidades para gerar mudanças.

Como em quase todas as coisas nessa vida, no caso do empreendedorismo, a existência precede a consciência. E a consciência neste caso nasceu da observação de um economista predestinado a ser comerciante, o Sr. Jean- Baptiste Say. Desde então o termo tem sido fortemente, senão totalmente associado ao mundo das organizações e do capitalismo.

Vejo que, por conta desta percepção, grande parte das pessoas acaba perdendo a oportunidade de compreender e aplicar em suas vidas este conceito, que é, antes de qualquer coisa, uma característica do comportamento humano e que apenas por acaso vem sendo utilizada quase que exclusivamente no mundo dos negócios.

Empreendedorismo está além de lidar com negócios

Conheci muita gente empreendedora que jamais teve um negócio. Madre Teresa de Calcutá foi uma. Eu já pensei que ela “apenas” “ajudava os pobres” e a imaginava como uma senhora velhinha que vivia orando e fazendo curativos. Um dia, por acaso, assisti a um documentário e me surpreendi: A mulher era uma máquina! Ela chegava nas comunidades, identificava as lideranças, fazia alianças, ia atrás dos governantes, estabelecia parceria com empresas locais, comandava a improvisação de abrigos e muito mais. Se isto não é empreendedorismo, não sei o que é!

Empreendedorismo

Fico consternado ao perceber que algumas crianças já nascem com o pé no empreendedorismo, e este às vezes é desestimulado por uma criação excessivamente míope ou, em alguns casos, incompetente mesmo.

Empreendedorismo, em minha humilde visão de psicólogo, é a habilidade de enxergar a realidade e agir de maneira ativa e criativa sobre ela. Dentro desta acepção, aquele rapaz esperto e despachado que resolve tudo na fazenda é um empreendedor. Aquela criança curiosa que “enche o saco” do eletricista querendo saber o que ele está fazendo e perguntando se pode usar uma das ferramentas, tem a curiosidade do empreendedor. Aquela senhora que chegava vestida de freira e tocava fogo na ação era sim, uma grande empreendedora.

Empreendedorismo é uma atitude que move o mundo muito antes de ser batizada com este nome. E é coisa séria demais pra ficar apenas no mundo dos negócios. É caso de saúde pública e de desenvolvimento de famílias, cidades e nações.

É por isso que me alegro ao ver iniciativas como esta do Empreendedor X, que leva às redes sociais, e consequentemente a um número crescente de pessoas, a noção, o conceito e as ferramentas inerentes a este que é um dos comportamentos mais decisivos para o desenvolvimento de nossa espécie.

É com prazer que estreio hoje minha coluna por aqui, e é com muita humildade que saúdo a todos que frequentam este espaço de desenvolvimento e aprendizado. É por causa de pessoas como vocês que a vida se torna muito mais fascinante e cheia de possibilidades.

Minhas saudações empreendedoras e até o próximo!

Bruno soalheiro é psicólogo, Palestrante Profissional e sócio-diretor da Fator de Sucesso. Possui 10 anos de experiência em RH, tendo atuado como consultor empresarial e Coordenador – Business Partner em empresas multinacionais da área de projetos de energia, óleo gás e mineração.

6 comentários

  1. Dr. Bruno Soalheiro, o psicólogo, bem eu na qualidade de Tecno em Enfermagem, estou aposentado, venho me esforçando para melhorar a minha renda, não tenho o conhecimento de informática o suficiente para fazer esta escalada só, não esqueci do Dr. Bruno, é grande a quantidade de amigos que fiz na internet buscando me ajudar, tenho 67 anos e me enquadro entre aquelas crianças curiosas que o Dr. Bruno narra, sempre fui empurrado para baixo pela própria família, aos 13 anos estava no mundo cuidando de mim, meu sonho era ser médico (Psiquiatra) fiz o vestibular passei, porém não nota suficiente para preencher uma vaga, não é o candidato podia fazer 3 opções, confiando em mim só fiz uma e para medicina, outro curso não me servia.
    Dr. Bruno abraçou uma área que a mentalidade do nosso povo é: Quem a Psicólogo ou a Psiquiatra é porque é doido, veja a visão de nossa gente. O que faz um médico sair de sua especialidade e vir escrever um artigo mostrando o que venha ser empreendedorismo, isto mostra o grande empreendedor que é o Dr. Bruno, penso com meus botões, Dr. Bruno deve ser um empreendedor. Um psicólogo, eu o vejo como um empreendedor de Ralações Humanas, Sociólogo ou até mesmo um Psiquiatra.
    Acredito que todos empreendedores da internet devem ter ficado contente com esta participação, por mim… obrigado Dr. Bruno.
    Quanto ao livro Capital semente, não baixei, pois eu já o tenho, creio que foi o autor que mandou pra mim.
    Um abraços a todos e me desculpe o comentário tão extenso.
    Atenciosamente, Inácio Silva

  2. Oi Inácio, fico muito feliz de ver seu comentário tão amigável! Sua simples atitude de se dar ao trabalho de escrever já é um ato de empreendedorismo. Você tem o mais importante que é a vontade e a noção de que precisa aprender mais. Em minha humilde opinião você é um vencedor Inácio! Depois visite meu site e veja lá alguns artigos sobre sucesso. Acho que você já é muito bem sucedido mas talvez ainda não saiba disso!

    Um grande abraço!

    Bruno Soalheiro

    • Franscisco Soalheiro

      Muito bom o comentário do José Inácio da Siiva. Ótima a sua colocação quando diz que vê o psicólogo como um empreendedor das relações humanas; chega a ser um puxão de orelha “no bom sentido é claro”, sobre a responsabilidade de quem se propôs a dedicar seu “tempo” neste planeta tão conturbado, com a meta de melhorar as RHs.Parabéns aos Srs José Inácio e Dr. Bruno Soalheiro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>