Últimos artigos

Como montar um plano de negócios eficiente e seguro

Um dos primeiros passos para quem quer empreender é avaliar o cenário e identificar a viabilidade de se executar uma ideia. Nesse sentido, montar um plano de negócios eficiente e seguro pode ser determinante para você iniciar um empreendimento com o pé direito.

O que acontece é que muita gente que está começando fica com receio de investir em um bom plano, por contenção de custos – as vezes nem há muito o que investir. Mas isso é lenda, visto que a intenção de um plano de negócios é justamente a de minimizar os riscos de se perder dinheiro.

Ele é um documento usado para descrever o seu empreendimento e o modelo de negócio que o sustenta. Através dessa ferramenta você poderá analisar a viabilidade do seu negócio, definir estratégias, organizar recursos e atribuir funções para cada pessoa que estará no barco com você.

Elaborando pessoalmente o seu plano de negócio, você terá a oportunidade de preparar um documento sob medida, baseado em informações que você mesmo levantou e nas quais pode depositar mais confiança. Quanto mais você conhece o mercado e o ramo que pretende atuar, mais certeiro será seu plano.

A tarefa pode parecer difícil, mas existem várias ferramentas para auxiliar o empreendedor que iremos mostrar neste artigo. Livros e softwares são alguns exemplos que não demandam muito investimento.

Empreender é sempre um risco, mas empreender sem planejamento é um risco que pode ser evitado. O plano de negócio, apesar de não ser a garantia de sucesso, irá auxiliá-lo a tomar decisões mais acertadas, assim como a não se desviar de seus objetivos.

O que esta ferramenta é capaz

  • Organizar informações importantes sobre o negócio – objetivos, estratégias, público-alvo, estrutura financeira, etc;
  • Captar recursos financeiros para a sua empresa – junto a sócios, bancos, investidores, etc;
  • Testar a viabilidade de uma ideia de negócio – será que há público suficiente para manter o negócio vivo?;
  • Dar orientação estratégica constante aos gestores;
  • Conquistar novos sócios para o negócio;
Como montar um plano de negócios eficiente

Como montar um plano de negócios eficiente

Como montar um plano de negócios passo a passo

O plano de negócio bem construído deve ter uma estrutura que proporcione o entendimento completo do negócio.

O documento deve apresentar os investimentos necessários e os gastos existentes na implementação de uma empresa, comprovando assim a viabilidade comercial do projeto – afinal de contas, ele precisa dar lucro, né?

Um plano de negócios é, basicamente, composto por seis tópicos. Eles seguem uma sequência lógica que permite a qualquer pessoa entender os objetivos da empresa, como ela será organizada, quais os produtos e serviços, qual é o mercado, qual será a estratégia de marketing e a situação financeira.

1) Resumo executivo: explica o conteúdo do plano e antecipa pontos importantes para que o leitor tenha uma ideia sobre cada seção. O recomendado é que essa primeira parte seja feita por último, já que se trata de um resumo – quanto mais simples e resumido melhor (com um máximo de 2 páginas). Deverá conter a descrição da empresa, com os diferenciais competitivos, perfil dos empreendedores, produtos e serviços, o mercado de atuação, localização, investimento inicial, forma jurídica e enquadramento tributário.

2) Visão e missão: mostra como o empreendedor imagina o seu futuro da empresa e a participação do negócio na concretização dessa ideia.

3) Descrição geral: apresenta as competências de sócios e diretores, bem como quais produtos ou serviços que serão comercializados.

4) Análise estratégica: descreve como a empresa atuará no mercado. É baseado na pesquisa de mercado e deve ter objetivos e metas estabelecidos. É aqui que você identifica se há demanda para o produto ou serviço que pretende fornecer – quem vai comprar seus produtos ou contratar seus serviços? O que será ofertado? Porque irão comprar? Quais são os hábitos de compra do seu público? Quais são as características sociais desse público? Respondidas essas perguntas, você terá informações na manga para definir as políticas de preços e os planos de comunicação da empresa. Essa análise te ajuda a compreender o mercado no qual você pretende atuar, ou seja, o nicho de mercado (que é um grupo de clientes com características semelhantes);

5) Plano de marketing e vendas: detalha como será feita a comercialização dos produtos ou serviços – em especial a divulgação (canais de distribuição, ações promocionais, etc). No plano de marketing, você deve informar uma descrição completa dos produtos e serviços, a qualidade e utilidade e como você vai se diferenciar dos concorrentes. A parte de vendas define como a empresa vai desenvolver ou comercializar os produtos e serviços. Aqui você vai relacionar os equipamentos que serão utilizados, a quantidade de pessoas e o tempo demandado para cada etapa.

6) Plano financeiro: é o resulto em números do plano de negócios. Ele demonstra a viabilidade do projeto, a quantidade de investimento necessária (investimentos fixos, pré operacionais, capital de giro e demonstrativo de resultados) e qual será o prazo retorno financeiro, ou seja, o tempo que será necessário para recuperar o capital investido. O plano financeiro permite ainda calcular o ponto de equilíbrio, que é o faturamento mínimo para a empresa não ter prejuízo. Você também vai conhecer a lucratividade da empresa, que é o lucro comparado com a receita total.

E ainda: concorrentes e parceiros

É importante ainda que seu plano de negócio contemple uma análise sobre os seus principais concorrentes e as parceiras que você deverá implementar para que o negócio funcione.

Os seus concorrentes deverão ser avaliados levando em conta o seu posicionamento no mercado. Você deve pesquisar os produtos e serviços deles, suas características e benefícios, política de preços e como eles vendem. Além disso, deverá descobrir porque os clientes compram deles e porque deixam de comprar.

Os fornecedores do seu negócio são os primeiros parceiros que você deve se preocupar. Já sabe o que você precisará de insumo ou ação para tocar o negócio? Há alguma empresa em vista que fornece o material ou serviço que você precisa? Procure informações sobre os principais fornecedores e a reputação deles no mercado. Mantenha um cadastro atualizado com o contato, preços, condições de pagamento e de entrega de cada um deles.

Utilize ferramentas para montar um plano de negócios

Hoje, existem várias maneiras de montar um plano de negócio com a ajuda de ferramentas gratuitas.

São muitas as vantagens de utilizar um software para a ação. A navegação é bem intuitiva, e ainda é possível importar e exportar seu plano com facilidade – inclusive em formato PDF ou no formato compatível com o Microsoft Word.

O Sebrae possui um software próprio para isso, e é indicado tanto para pessoas que têm uma ideia de negócio (mas não sabem se ela é viável), quanto para empresários que desejam expandir os negócios. Ele está disponível na Biblioteca Digital do Sebrae e, para baixa-lo, é só acessar este link. Lá também há dicas e exemplos de projetos para os setores de Agronegócio, Comércio, Indústria e Prestação de Serviços, e dá para fazer até 5 planos diferentes com o mesmo CPF.

Avaliação do plano

O Plano de Negócio desenvolvido por você é um valioso instrumento de planejamento. Por ser o seu mapa de percurso, ele deve ser consultado a todo instante e acompanhado permanentemente.

O plano de negócio deve ajudá-lo a responder sempre o seguinte questionamento: vale a pena abrir, manter ou ampliar o meu negócio? É lá que essa resposta será encontrada.

E atenção: não deixe de atualizar o plano

O plano de negócio não é um documento engessado: pode e deve ser modificado sempre que necessário. O mundo e o mercado estão sujeitos a várias mudanças, e a cada dia surgem novas oportunidades e ameaças. Por isso, procure adaptar seu planejamento às novas realidades. É por este motivo que um plano de negócio é “feito a lápis”, para que possa ser corrigido, alterado e ajustado ao longo do caminho. Mesmo quando a empresa já esteja em plena operação, o documento deve ser adaptado aos poucos e de acordo com o crescimento do negócio.

Onde Buscar Mais Informações

1. SEBRAE – www.sebrae.com.br

2. IBGE – Instituto Brasileiro De Geografia e Estatística – www.ibge.gov.br

3. INPI – Instituto Nacional De Propriedade Industrial – www.inpi.gov.br

4. BDMG – Banco De Desenvolvimento De Minas Gerais – www.bdmg.gov.br

5. BNDES – Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social – www.bndes.gov.br

6. OUTROS – exemplo: sindicatos, associações comerciais, federações, etc.

Como criar um plano de negócios bem estruturado

Como criar um plano de negócios bem estruturado

Recapitulando

Um plano de negócio bem feito, fará toda a diferença na hora de montar o seu negócio. Vimos aqui que um plano de negócios é fundamental para:

1)     Organizar informações importantes

2)     Listar e captar recursos financeiros;

3)     Testar a viabilidade de uma ideia de negócio junto ao mercado e ao público-alvo

4)     Construir planos sólidos de divulgação

A leitura de obras especializadas sobre o assunto também pode ajudar na construção de um plano. Tome nota de 3 sugestões: “Inovação em Modelos de Negócios – Business Model Generation”, de Alexander Osterwalder, “O Segredo de Luisa”, de Fernando Dolabela e “Plano de negócios: seu guia definitivo”, de José Carlos Assis Dornelas.

Para finalizar, é importante que você tenha em mente de que não existe um roteiro padrão ou modelo universal de plano de negócios, pois cada negócio tem suas peculiaridades.

E ai, o que achou do artigo? Tem alguma dúvida ou consideração a fazer? Utilize os nossos comentários e participe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>