Últimos artigos

8 riscos que todo empreendedor precisa assumir para se manter ativo

Quem tá na chuva é pra se molhar, já dizia aquele velho ditado. Todos nós, na vida pessoal ou profissional, estamos sujeitos aos riscos e suas talvez nem saíssemos de casa, não é mesmo?

Empreender é quase sinônimo de assumir riscos, você já deve ter percebido. Para ter seu próprio negócio, existem alguns riscos que todo empreendedor fatalmente precisa correr. É claro, que muitos outros riscos podem ser eliminados, mas alguns fazem parte do jogo, não há como evitar. Para montar o seu próprio negócio, você tem que colocar a sua carreira, finanças pessoais e até mesmo sua tranquilidade em jogo.

Não é por menos que, depois de lerem algumas estatísticas sobre falência de empresas nos primeiros meses ou anos, poucas pessoas decidem se aventurar na carreira empreendedora. Até pouco tempo atrás, 3/4 das empresas abertas não chegavam ao seu quinto ano de vida. Muita coisa, né? Em resumo, a regra é quebrar as pernas, e dar certo é a exceção.

Para muita gente, a perspectiva de tomar suas próprias decisões e ser responsável pelo seu próprio destino vale a pena, mas sabemos também que para perder o medo de abrir seu próprio negócio é preciso estar ciente de onde você está se metendo.

De todo modo, existem riscos que o empreendedor precisa correr, não tem jeito. Eles são os chamados riscos sistêmicos do negócio. Neste artigo, você vai conhece-los, e também dar uma olhada no que pode ser feito para minimizá-los. Alguns são inevitáveis, mas o interessante, é saber lidar com eles de forma responsável e segura, tirando um bom aprendizado de cada um deles.

67_riscos_empreendedor2

Mas por que empreender?

Simples: o empreendedor tem uma visão diferente do risco que está correndo. Em primeiro lugar, ele não olha só o que tem a perder, mas, também o que tem a ganhar. Esse é o principal aprendizado.

Assumir um risco pode ser sinônimo de adquirir experiência, independência ou autonomia. As possibilidades são bem maiores do que os prejuízos, acredite.

O empreendedor é muitas vezes estereotipado como jogador. Expressões como “é tudo ou nada”, “apostar todas as fichas” são usualmente aplicados ao perfil empreendedor, concorda? No entanto, é um erro achar que o empreendedor aceita e busca o risco. O empreendedor não é um aventureiro inconsequente. Ele nem sempre assume riscos, ele sabe ponderar todos os prós e os contras e, mesmo assim, quando assume o risco, faz o que pode para minimizá-lo.

Os riscos que todo empreendedor deve estar ciente

1. O risco da incerteza

Muitas vezes, devido à falta de informações, você não pode determinar o grau de risco. Aí é saber lidar com a incerteza, que também pode ser atribuída a outras causas, como excesso de dados, fontes sem credibilidade, dados contraditórios, excesso ou falta de racionalidade.

Quanto maior a incerteza, maior é a chance de algo inesperado acontecer. Saber que existe uma rede abaixo da corda bamba mostra que vale a pena correr o risco e andar por ela. Se eu não sei se existe uma rede de proteção, me desafio a andar e caio lá do alto, o risco foi alto mediante o benefício inexistente.

2. O risco de expectativas não se confirmarem como você tinha imaginado

Independentemente da quantidade de pesquisas de mercado como estratégia de negócio que você faça antes do lançamento do seu produto ou serviço, há sempre a possibilidade de no final, você não agradar o consumidor como ele espera.

O público é bastante imprevisível, principalmente se o que você oferece serve para vários tipos de pessoas (idade, classe social, sexo, etc). Mesmo com toda a tecnologia e ferramentas de pesquisa com as quais podemos contar hoje em dia, há sempre o risco de você estar superestimando o interesse pelo seu produto ou serviço, e em função disso, suas projeções estarem completamente furadas.

Não importa o quanto a pesquisa que você faz ou quantos testes você completa, você nunca será capaz de estimar o interesse popular em seu negócio com perfeita precisão. Por isso, o ideal é validar sua ideia de negócio e se cercar de tudo que possa garantir o seu sucesso.

3. O risco de não contar com um salário fixo

A estabilidade de um salário fixo em um emprego formal certamente não faz parte da vida de um empreendedor que está começando. Em geral, não há nenhuma garantia de renda fixa, principalmente nos primeiros meses ou até anos do negócio.

É claro que é possível conciliar o seu emprego com um negócio próprio durante um tempo, mas o rompimento dos laços de trabalho uma hora ou outra será inevitável. Pense nisso.

4. O risco da complexidade

O risco é diretamente proporcional ao número de variáveis que influenciam a sua atividade.

Um projeto de organizar um evento com fornecedores, por exemplo, possui um grau de complexidade maior do que organizar um passeio com a família no fim de semana.

Essa complexidade se deve à quantidade de pessoas, empresas, tempo, orçamento, espaço, ações, recursos e outros fatores que são considerados no projeto. Quanto maior o número de variáveis, maior a chance de uma delas dar errado.

A complexidade do evento é que determina que o risco é alto ou não.

5. O risco de perda de capital próprio

Com as taxas de juros praticadas pelos bancos, abrir um negócio com capital originário de empréstimos é simplesmente suicídio. Melhor nem pensar. Por isso, a melhor solução é investir uma boa dose de capital próprio em seu negócio e assumir os riscos dessa decisão.

É claro que você não precisa abrir mão de todas as suas economias, mas mesmo investido apenas parte delas, o fato é que em caso de fracasso você terá reduzido seu colchão de segurança para situações de crise.

6. O risco do fluxo de caixa comprometido

Outro risco empreendedor precisa correr é o do comportamento inesperado do fluxo de caixa.

Mesmo que você disponha de uma linha de crédito para garantir o seu fluxo de caixa, o risco desse caixa sair do controle é sempre uma preocupação.

Controle de perto esse fluxo para não ser surpreendido pelo colapso repentino do caixa e ter que tomar uma decisão em cima da hora.

7. O risco de confiar em um grupo de funcionários

Quando você começa um negócio, você não terá uma equipe completa de funcionários que trabalham para você. Provavelmente irá começar aos poucos, com um grupo pequeno de pessoas que trabalham juntos em um esforço para fazer as coisas funcionarem.

Entre os riscos que você deverá assumir está o de depositar uma grande carga de confiança nessa pequena equipe, especialmente se eles têm habilidades especiais que são difíceis de encontrar e estão dispostos a começar a trabalhar com um salário menor do que o praticado pelo mercado.

8. O risco de ter outros planos em mente (plano B, C, D…)

O último elemento relevante da análise de risco é a ação alternativa, ou seja, o que se faz para eliminar ou minimizar o risco.

Muitas vezes, o custo para executar uma ação nesse sentido é maior do que correr o próprio risco. É possível, por exemplo, construir uma casa totalmente livre de risco de desabamento? Sim, sobretudo se houver investimento em um bom projeto estrutural. Mas como garantir 100% da qualidade da matéria-prima? Como evitar inundações, terremotos e outras intempéries de baixa probabilidade?

Essa análise só pode ser feita quando há um bom balizamento entre a proporcionalidade do risco e da ação de prevenção correspondente, um tipo de análise custo-benefício. Quanto mais formas de reduzir ou eliminar os impactos, a probabilidade, a incerteza, a complexidade e o número de ameaças, menor o risco.

Encare os riscos que todo empreendedor precisa correr

Não estamos aqui dizendo que o medo de ver riscos pela frete deva afastá-lo da direção de ter seu próprio negócio e conquistar sua independência financeira. Afinal de contas, estamos aqui para motivá-lo e não o contrário.

Os riscos devem ser encarados como obstáculos no meio desse caminho que você terá que superar.

Ser empreendedor é correr riscos e não há como evitar. A vantagem é que você agora já os conhece e por isso está mais capacitado a vencê-los. Certo?

67_riscos_empreendedor1

Resumo e até o próximo artigo!

Vimos aqui que:

1) Para montar o seu próprio negócio, você tem que colocar a sua carreira, finanças pessoais e até mesmo sua tranquilidade em jogo;

2) O empreendedor é muitas vezes estereotipado como jogador. Mas ele nem sempre assume riscos, já que sabe ponderar todos os prós e os contras e, mesmo assim, quando assume o risco, faz o que pode para minimizá-lo;

3) A complexidade do evento é que determina que o risco é alto;

4) O sucesso de um empreendimento, uma hora ou outra, cobra o seu preço. Portanto, prepare-se para investir muitas horas de trabalho duro para transformar sua empresa em um caso de sucesso.

E aí, concorda ou discorda com os riscos que ponderamos aqui? Tem algum acréscimo a ser feito? Utilize o espaço dos comentários e interaja conosco. Até o próximo artigo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>