Últimos artigos

Pedir demissão também precisa de planejamento

Se você recebeu uma boa proposta em outra empresa ou simplesmente quer partir rumo à novos desafios na carreira, chegou a hora de pedir demissão do emprego.

Essa é uma tarefa que também precisa ser planejada, assim como a sua expectativa antes de entrar na empresa é formada e, com o tempo, você cria metas de desenvolvimento pessoal.

Os últimos dias em uma companhia são fundamentais para consolidar a imagem que você tinha em seu antigo emprego e deixar as portas abertas com seus antigos gestores. Mesmo que você queria partir para outra área, trabalhar por conta própria ou algo do tipo, lembre-se que o mundo dá muitas voltas e você não sabe o dia de amanhã. Você pode estar em contato com aquela mesma equipe no futuro, ou pode cruzar com seu chefe em outra situação, outra empresa, em uma relação direta de trabalho ou mesmo como parceiro, fornecedor, cliente, e por aí vai.

No mercado de trabalho, seu nome, suas emoções e suas relações são simplesmente aquilo que irá garantir os melhores empregos. Neste artigo você verá um apanhado do que deve ser levado em consideração na hora de pedir demissão, e também se informar sobre direitos, obrigações, cuidados e atitudes a serem tomadas nessa hora.

Vamos lá?

74_pedir_demissao1

Seus direitos e deveres ao pedir demissão

Todo funcionário ao se desligar de uma empresa por vontade própria tem direitos.

Em geral, o empregado é quem deve o Aviso Prévio em caso de pedidos de demissão. Isso é, você tem que comunicar com 30 dias de antecedência seu pedido. Um empregador pode te dispensar de tal cumprimento, mas fica a cargo exclusivo de uma negociação entre você e ele.

Você terá direito:

  • Ao saldo de salário: proporcional aos dias trabalhados. Se você pediu demissão em um dia 10 de um mês e cumpriu até o dia 10 do outro, tem direito ao salário proporcional do mês seguinte até o dia 10;
  • Ao 13º proporcional: se você não esperar, terá direito ao benefício aos meses trabalhados;
  • A férias e 1/3: dependendo do caso, se forem férias já vencidas, você recebe o adicional de 1/3. Há outros cálculos necessários aqui que um contador pode fazer com maior exatidão, como proporcionalidade dos recebimentos. Caso você nunca tenha tido férias durante seu emprego, ele terá que pagar férias dobradas + 1/3.

Você não terá direito:

  • Ao saque do FGTS;
  • A multa de 40% por demissão sem justa causa;
  • Ao seguro-desemprego.

Em geral, depois de tudo isso considerado, o melhor dia para pedir demissão é o início ou fim de mês. Como são os momentos em que a empresa está pagando funcionários, é também o momento em que ela pode se organizar para sua saída – com relação ao fechamento de planilhas e até mesmo para considerar a reposição interna ou externa.

Aviso prévio – uma forma de se planejar

É bem importante que você converse com seu empregador sobre sua demissão. Pode ser que a oferta seja tão boa, ou que ele seja parceiro em entender sua necessidade de mudar, que a opção seja realmente a liberação do Aviso Prévio. Isso é difícil de prever, porque por mais camarada o seu chefe seja, algumas empresas possuem normas a serem seguidas. Existem empresas que liberam o aviso prévio de todos os funcionários, por entenderem que não faz sentido continuar com um funcionário com os pés em outro lugar. Mas também existem empresas que não abrem mão do cumprimento do aviso, até por uma questão de organização do posto de trabalho.

Se o chefe não te liberar, em geral não vale a pena pagar a multa e sair, a não ser que financeiramente isso não seja problema para você. Se você conseguir negociar com o novo empregador para aguentar um pouco, dá pra cumprir tranquilamente. Mas lembre-se: se a situação já não está muito boa no trabalho, será que vale a pena aguentar mais 30 dias ali dentro? Em alguns casos, pode ser que valha a pena pagar o aviso prévio, apesar dos altos custos. O ideal é que você coloque tudo numa balança antes de tomar sua decisão.

O período de cumprimento do aviso prévio pode ser um momento em que você irá planejar bem a sua entrada na nova empresa, sem correr. Em 30 dias, dá para pesquisar tudo sobre a nova negócio, fazer um curso, participar de workshops e se preparar melhor para um novo desafio que virá. Pense nisso. Ao pedir demissão, é fundamental listar as atividades e projetos que você realizará até a sua saída. Da mesma forma, ofereça ajuda na seleção de seu sucessor e indique as qualidades que este profissional precisa ter para ocupar o seu lugar – afinal de contas, quem melhor do que você para definir as características que você precisou lapidar para se sair melhor na rotina daquele trabalho?

Atitudes a serem tomadas ao pedir demissão

Mesmo que seu gestor ou a empresa não tenham uma cultura de feedbacks, é interessante você sair da empresa com uma boa conversa sobre aprendizados, situações que deixaram a desejar, e aquilo que poderia ter sido diferente. O bom gestor é aquele que está sempre a par dos seus objetivos e pretensões: numa dessas, ele pode até compreender melhor o motivo de sua saída, ao reconhecer que a empresa não atende suas necessidades naquele momento.

Outra questão importante é deixar o seu gestor a par das tarefas que você está realizando até a sua saída, e também as pendências que podem ficar, assim como você já deva ter feito quando saiu de férias em algum momento. Se for o caso de você estar cumprindo aviso prévio, tente informar seu gestor sobre suas atividades com mais frequência, para que ele tenha um panorama completo sobre como ficará o andamento das demandas sob sua responsabilidade.

Se você tiver oportunidade de se despedir da equipe, informe seus contatos e deixe claro que você está disponível para tirar dúvidas ou orientar algum processo depois que já tiver deixado a empresa. Mas se for necessário, imponha limites: pode acontecer do chefe pedir mais alguns dias além do combinado, ou pedir que você se dedique à alguma atividade mesmo depois do aviso prévio já ter sido cumprido. Seja transparente na hora de responder e lembre-se que a nova empresa está com expectativa de recebê-lo na data acordada – e com a cabeça inteiramente por lá.

No mais, mantenha o equilíbrio até o último dia. Não adianta realizar um bom trabalho ao longo dos anos e decepcionar sua equipe justo na reta final. Lembre-se que você depende deles para referências em trabalhos ou projetos futuros, e como dissemos, o mundo corporativo dá muitas voltas.

Arrependimento ou reconsideração

Se durante o período do cumprimento do aviso pintar uma dúvida sobre sua permanência, saiba que há possibilidade de reconsiderar o pedido de demissão. Neste caso, a parte arrependida deverá apresentar uma notificação à outra comunicando o ocorrido bem como o desejo de manter o contrato. Todavia o pedido de reconsideração pode ou não ser aceito. Caso seja aceito tudo volta ao estado anterior após o término do aviso prévio concedido como se nada tivesse acontecido.

“Ninguém é insubstituível”

Você certamente já ouviu essa frase alguma vez na sua vida. Dentro das corporações, isso é realmente levado ao pé da letra. Por isso, não se sinta na obrigação de colocar a empresa como vítima em um pedido de demissão. Não importa o quão competente você seja, e o quanto o seu chefe faz parecer que você tem uma importância vital na empresa – você é uma peça totalmente substituível.

A empresa em que trabalha provavelmente já existia antes de você chegar e vai continuar existindo depois que você sair, não é mesmo? Por mais que sua função seja de extrema relevância, haverá sempre alguém capaz de cumpri-la, e talvez melhor ainda do que você. Você sai e outro chega. A fila anda e a vida é assim.

A única forma de evitar “ser uma peça substituível” é fazer o que realmente gosta e seguir seu chamado pessoal. Cada pessoa é única e ao atender o chamado de fazer realmente o que ama, jamais outra pessoa será capaz de realizar esse trabalho tão bem e de forma tão verdadeira, afinal, sonhos são pessoais e intransferíveis. Os melhores e mais reconhecidos profissionais do mercado são aqueles que realmente amam o que fazem.

74_pedir_demissao2

Resumo para finalizar

Dúvidas sanadas? Ou há algo que ainda gera um questionamento? Vamos recapitular:

1) Você viu aqui que os últimos dias em uma empresa são fundamentais para consolidar a imagem que você tinha em seu antigo emprego e deixar as portas abertas;

2) No mercado de trabalho, seu nome e suas relações são simplesmente aquilo que irá garantir os melhores empregos;

3) É bem importante que você converse com seu empregador sobre sua demissão, até mesmo para definir e negociar a questão do aviso prévio;

4) Preze por feedbacks após o pedido e deixe o gestor ciente de cada passo que você der para garantir a continuidade do seu trabalho mesmo após a sua saída.

Se mesmo assim persistir alguma dúvida, deixe um comentário! Ajude-nos a continuar construindo artigos interessantes aqui no EmpreendedorX. Até a próxima!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>