Últimos artigos

Arquivo da categoria: Marketing digital

Atualizações constantes para manter listas de e-mails sempre assertivas  

Já falamos aqui que tão importante quanto a captação crescente é a manter listas de e-mails bem certeiras.

Pois bem.

Neste artigo vamos sobre a importância em fazer frequentes atualizações em suas listas. Altas taxas de erros de envios como aquelas mensagens dizendo que o “endereço não existe” ou “conta desativada”, por exemplo, são interpretadas pelos provedores como possíveis spams. Mantenha seu banco de e-mails consistente e de acordo com a sua realidade. Cinco mil e-mails com cadastro autorizado valem mais do que cinquenta mil que não produzem conversão.

Muitas das vezes, o cliente abandona o newsletter através de algumas ações, como apagar sem ler, enviar para o lixo eletrônico, ou simplesmente cancelando o recebimento – que ele pode fazer a qualquer momento, pelo menos deveria poder. Ele só vai fazer isso se o conteúdo não for mais relevante.

Por isso, pense duas vezes antes de produzir e-mails com informações estritamente institucionais, que na maioria das vezes, só interessa para o público interno e alguns parceiros. Se você atraiu contatos através de promoções, o ideal é que continue investindo nisso por exemplo.

87_atualizacoes_listas2

Conteúdos com qualidade para manter listas de e-mails

Para continuar mantendo seu mailing por perto, é preciso investir sempre na qualidade do que você irá oferecer aos cadastrados através dos e-mails marketing.

Os conteúdos enviados à lista não podem ser criados a partir de suposições ou apostas sem embasamento. Existem formas de pesquisar e avaliar dados para chegar a conclusões mais assertivas. O que seu público quer e espera? O que eles têm se engajado mais? O que a concorrência anda fazendo? (e nesse caso, o que tem dado certo e o que não tem dado certo para eles?). Seu público deseja um conteúdo denso ou dicas rápidas e curtas? Preferem algo que lhes traga economia ou algo que lhe dê conforto?

Pense sempre que você lida com “pessoas” e não “números”. Não pense em atrair e-mails, mas em atrair gente. E gente tem interesse por coisas reais.

Pense também na frequência de envio: em geral, as pessoas não querem ser bombardeadas de conteúdo. Elas querem o conteúdo que conseguem digerir.

E claro: não deixe de ir consultar os clientes para obter essas respostas. Para isso existem pesquisas de satisfação feitas de diversas maneiras no pós venda.

Cada macaco no seu galho

Para ter mais sucesso no envio e assertividade na absorção das mensagens, considere a possibilidade de fazer pequenos grupos e criar conteúdos específicos para cada um deles. Isso porque geralmente toda empresa possui mais de um público, seja por faixa etária, região de moradia, ou pelos gostos pessoais com seus produtos/serviços.

Um exemplo disso é o uso da segmentação para o envio de campanhas adaptadas (ou até mesmo diferentes) para os públicos de consumidores, acionistas, fornecedores e funcionários, que muitas empresas já fazem habitualmente.

Mais formas de captar e manter listas de e-mails

Há ainda outras formas para engordar as listas com bons e-mails.

A página de captura (landing page) de e-mails é um recurso que tem se mostrado muito assertivo. Ela nada mais é que uma página de internet desenvolvida exclusivamente para a oferta do newsletter e os campos de preenchimento de nome e e-mail. Quanto mais criativa essa página for, maiores as chances de receber inscrições.

O link dessa página pode ser incluído ou anexado em diferentes plataformas, como fóruns e redes sociais.

Você pode jogar com ofertas do tipo “Traga 10 amigos que adoram o assunto X para a nossa newsletter e ganhe 10% na sua próxima compra”. Com certeza isso terá algum retorno, e é uma excelente forma para multiplicar os seus contatos.

Faça comentários em outros artigos, postagens e vídeos de sites que tenham a ver com o seu negócio. Pratique a amabilidade e interaja com algo construtivo, deixando um link para a sua página de captura. Aí só esperar os resultados aparecerem.

Muitos blogs oferecem ainda materiais informativos e e-books em troca do e-mail do usuário.

Dá para fazer também um hangout relacionado com qualquer tema em que você esteja à vontade, e usar uma chamada do tipo “assine esta lista e receba o convite para estar presente na nossa próxima transmissão!”.

No Facebook, dá para adicionar o formulário de inscrição como uma landing page integrada diretamente na página. No Twitter, a dica é fazer tweets objetivos, oferecendo diretamente algo em troca do e-mail dos usuários, onde deve ser ligado a uma landing page. Aí vale aquelas regras das hashtags e palavras-chave do nicho desejado, para melhor identificação do público que pode se interessar pela newsletter. No Youtube, a mesma coisa: comente e interaja em vídeos que tenham a ver com sua empresa e guie o internauta até à sua landing page.

Uma outra forma de manter listas: respostas!

Um bom relacionamento na internet entre empresa-cliente se constrói e solidifica muito em função da troca de mensagens.

Pois isso, esteja sempre pronto para responder as mensagens que são recebidas via e-mail.

Alguns e-mails marketing não permitem resposta do usuário (pois se tratam de mensagens automáticas) mas outros sim, a depender do servidor e natureza do envio. Se esse último caso se adequar à sua empresa, o ato de responder e mostrar que existe “alguém por detrás” (e não um robô) é muito importante para evitar a fuga de bons destinatários.

Muitas vezes basta uma simples resposta para que o cliente comece a fazer uma associação entre “empresa” e um “bom serviço”.

Se necessário, até contrate ou destine um funcionário para ficar por conta dessa tarefa de interação.

5 Ferramentas online para criar e manter uma boa lista

Existem algumas ferramentas disponíveis na internet que automatizam os processos de criar boas mensagens para diferentes listas de e-mails.

Separamos as cinco opções mais populares para você avaliar qual se adapta mais à sua realidade e orçamento.

1 – Benchmark – www.benchmarkemail.com/br – (em português e com versão gratuita)

O Benchmark é um portal com versão em português capaz de criar e-mails marketing inteligentes e atrativos e formulários de inscrição adaptáveis a todos os dispositivos, além de fornecer relatórios em tempo real numa interface bem intuitiva.

Dá para segmentar sua lista de e-mails baseada em histórico de compra, engajamento do contato, localização geográfica, entre outros parâmetros.

A versão gratuita possibilita um envio de e-mail para até 2000 contatos, e não é necessário informar dados de cartão de crédito para testar. Os planos custam a partir de R$ 33,90.

2- E-goi – www.e-goi.com.br/pt_br/ – (em português e pago)

A E-goi é um site com suporte em português, é gratuito até 500 e-mails e é uma boa pedida para quem está começando. Como diferencial, o E-goi possui um sistema de envio de SMS, voz e RSS marketing, que podem lembrar o usuário de que existe um e-mail para ser aberto (quando isso não é feito pelo destinatário do e-mail marketing).

Além disso, o sistema de estatísticas do E-goi é bastante completo, com diversas métricas entre todas as variantes possíveis do e-mail marketing.

Na formação de orçamento, existem 3 opções: para envio de e-mails ilimitados, e-mails mensais e pacote de mensagens pré-pagas, com diferentes preços.

3 – GetResponse – http://br.getresponse.com – (em português e pago)

Possui basicamente as mesmas funções do Benchmark. Porém, há recursos como as autorespostas, um criador de página de destino e uma métrica de recepção das campanhas mais completa.

A ideia do site é automatizar o marketing com um direcionamento mais preciso. Eles desenvolveram aplicativos móveis (iOS e Android) para gerenciar suas campanhas de e-mail a qualquer hora e lugar.

É possível testar a ferramenta gratuitamente por 30 dias sem o fornecimento de cartão de crédito. O plano para iniciantes sai a partir de 15 dólares.

4 – MailChimp – www.mailchimp.com – (em inglês e com versão gratuita)

O MailChimp é uma das ferramentas de disparo de e-mails mais populares no mundo, e também é muito usada por agências e empresas no Brasil.

A segmentação é o forte deles: uma das missões do site é ajudar a realmente desvendar as pessoas por trás dos endereços de e-mail na sua lista. Possuem ainda uma boa proteção contra os filtros de SPAM e um editor de campanhas bem intuitivo.

Existem duas formas de assinatura: a gratuita e a paga, com diferentes preços de acordo a sua necessidade. O valor também é cobrado em dólar.

5 – Aweber – www.aweber.com – (em inglês com versão de teste por 30 dias)

Por último, deixamos essa opção que também é bem completa, porém, não está disponível no nosso idioma.

Esse é um dos principais concorrentes do MailChimp. Tem a vantagem de permitir que você saiba qual é a taxa de conversão de qualquer campo de e-mail no seu site ou fora dele, como por exemplo em uma página do Facebook. Dessa forma fica fácil saber com precisão quais campos de e-mail estão trazendo mais pessoas para sua lista e quais podem ser melhorados. A desvantagem é que essa opção não é tão intuitiva quanto as outras.

Depois do período de teste, os planos começam a partir de 19 dólares ao mês.

Misture com o Google Analytics

Assim como é útil na missão de monitorar a presença da sua empresa na internet, o Google Analytics serve ainda como uma boa mistura a essas ferramentas que citamos acima.

A combinação entre elas é capaz de tornar a sua administração do e-mail marketing mais completa, através da verificação de taxas de conversão das campanhas e estatísticas.

87_atualizacoes_listas1

Encerrando por aqui

Você viu nesse artigo que:

1) Altas taxas de erros de envios como aquelas mensagens dizendo que o “endereço não existe” ou “conta desativada”, por exemplo, são interpretadas pelos provedores como possíveis spams;

2) Para continuar mantendo seu mailing por perto, é preciso investir sempre na qualidade do que você irá oferecer aos cadastrados através dos e-mails marketing;

3) Para ter mais sucesso no envio e assertividade na absorção das mensagens, considere a possibilidade de fazer pequenos grupos e criar conteúdos específicos para cada um deles.

E aí, alguma sugestão? Ficou alguma dúvida? Utilize a parte dos comentários e participe! Até o próximo artigo!

Como construir boas listas de e-mails e conseguir novos clientes com isso

Vimos falando muito aqui sobre mídia online e as formas de se fazer presente na vida digital do seu público. É bem provável que você enquanto empreendedor já possua pelo menos um produto virtual bem estruturado – um site, fanpage no Facebook, conta no Twitter ou Instagram, por exemplo.

No entanto, existe um outro canal de comunicação que muitas empresas (principalmente as que estão engatinhando no mercado) não conhecem ou não sabem como começar a usar. É o e-mail marketing, ferramenta no qual conteúdos diversos chegam diretamente na caixa de entrada de quem você quiser – basta incluir o endereço de e-mail no campo do destinatário.

Já falamos por aqui sobre as boas maneiras do e-mail marketing: como evitar que ele caia no spam. Em resumo, demos as principais orientações de caráter estético e comportamental para que o e-mail seja mais assertivo em sua estratégia e layout – o que pode, o que não pode, como fazer, e por aí vai.

Dessa vez, vamos falar sobre um outro aspecto do e-mail marketing que é fundamental para o xeque-mate da estratégia de marketing e divulgação: as listas de e-mails. Nesta lista estão inseridos os contatos que receberão os conteúdos enviados pela sua marca ou empresa.

O ideal é que essa lista seja produzida “a mão”, com destinatários certos e, de preferência, tenham permitido o recebimento deles e naturalmente saibam que aquele e-mail pode chegar a qualquer momento.

O objetivo deste artigo é orientar sobre como construir boas listas de e-mails e conseguir novos clientes com isso, por meio de uma boa conversão em vendas e através da criação de um canal de diálogo direto e com quem quer interagir com seu negócio.

email symbol on row of colourful envelopes

A estabilidade do e-mail marketing

Você já reparou como as estratégias de marketing mudam em curtos intervalos de tempo, com o avanço frenético da tecnologia, desenvolvimento de softwares e a popularização da internet?

Hoje se fala muito em Periscope marketing, mas há três anos, isso não era realidade para todo mundo. Assim como o Whatsapp marketing e as novas funcionalidades do Youtube marketing, são novos adendos que ganharam uma força absurda nos últimos anos.

Enquanto as redes sociais mudam sua forma de interação radicalmente de tempos em tempos (até para sobreviver frente à concorrência), o e-mail parece ir na direção contrária, mantendo-se basicamente com a mesma lógica nos últimos dez ou quinze anos. Com uma adaptação ou outra, é claro, mas a estrutura e estratégia praticamente não se alteraram.

Acreditando que, graças à essa estabilidade, é muito provável que o e-mail marketing continue com a mesma importância nos próximos anos que virão, sem nenhuma grande transformação em seu processo.

Por isso, construir uma boa lista de e-mails hoje pode ser útil ainda por muito tempo. Não é como aquele velho cadastro de telefone fixo das empresas nos anos 90 – hoje em dia, quase ninguém possui telefone fixo em casa, não é mesmo? São poucos os casos. Todas essas empresas passaram a colher, além do telefone fixo, o número de celular e o e-mail do cliente, por exemplo.

Em resumo é o seguinte: a sua estratégia de comunicação pode (e deve!) mudar com o tempo, a partir do que vai aparecendo de novidade, mas o valor de uma boa lista provavelmente vai se manter ainda por um bom tempo.

E o que é uma lista de e-mails?

Apesar de toda a importância das redes sociais gratuitas e da publicidade paga na promoção de visitas e desenvolvimento de potenciais clientes, não podemos nos esquecer da força que o e-mail ainda possui.

O correio eletrônico ainda é uma ferramenta muito acessada na Internet – em especial para o público que estuda ou trabalha, por razões acadêmicas, profissionais ou pessoais.

Fato é que a tarefa de abrir, conferir e apagar e-mails faz parte da rotina de muita gente, e é nisso que muitas empresas apostam. O e-mail marketing, muitas vezes, é a certeza que aquele público em específico irá receber sua mensagem. Se ele irá abrir ou se a mensagem vai direto para o lixo eletrônico é outra história (que depende das orientações que falamos no outro artigo), mas de toda forma, o potencial do e-mail marketing ainda sim é muito grande.

Naquele espaço da caixa de entrada é onde sua marca vai ter mais atenção do público, pois até o fato de apagar um e-mail demanda uma ação, já que não é feito por um “simples olhar” (como desviamos de publicidade paga na internet, por exemplo).

Nesse sentido, uma boa lista e e-mails é o caminho para termos uma série de endereços eletrônicos de pessoas que podem se interessar pelo que você tem a dizer.

Corra das listas compradas

Vamos relembrar parte deste tópico que já abordamos no artigo que mencionamos, sobre a relação entre e-mail marketing e spam.

Para quem está começando um negócio, um recurso muito utilizado acaba sendo a compra de listas de e-mails em massa, ou até mesmo segmentados, como alguns sites oferecem.

No mercado há sites que vendem até 500 mil leads (destinatários) para alavancar seus produtos. Mas quem garante que entre esses 500 mil leads não existem endereços de e-mails incorretos? As chances desse e-mail cair nas mãos de pessoas que não estão interessadas no que você tem a oferecer é enorme. Maior ainda é a chance do servidor de e-mail classificar sua mensagem como imprópria, e você ser identificado como spammer. Com isso, cai sua reputação e credibilidade.

O ideal mesmo é que cada empresa tenha sua própria lista de clientes, criada a partir de cadastros feitos por eles mesmos.

Comprar endereços de e-mails pode fazer com que esses remetentes denunciem suas mensagens como spam. Fora a baixa taxa de interações (porque não houve um contato anterior entre a marca e o consumidor) e a alta taxa de rejeição de pessoas que optam por sair da lista com o tempo.

Da mesma forma, também não vale a pena trocar listas com parceiros (mesmo que estejam dentro do mesmo nicho de mercado), nem capturar e-mails aleatórios na internet.

A palavra-chave, nesse caso, é permissão.

Construção e manutenção de bons listas de e-mails

Uma coisa é fato e não há como negar: o sucesso de uma estratégia de marketing é diretamente proporcional à qualidade da sua lista de e-mails. Não vai adiantar de nada ter um e-mail bem elaborado e atraente se ele não vai chegar até as pessoas certas.

Entende-se por qualidade aquele público que compreende a sua língua, conhece o seu produto/serviço e se interessa pelo que você tem a oferecer: promoções, informações, ofertas, benefícios, e por aí afora.

O processo de captação de e-mails certeiros pode ser das mais variadas formas, desde o boca a boca até o uso de ferramentas na internet.

No seu site ou blog, você pode incluir uma ferramenta de inscrição de newsletter, que pode ser um quadro pequeno, grande, no canto ou aparecendo na tela principal do internauta (através de landing page, página de captura, squeeze pageou em janela pop-up, por exemplo).  Quanto mais possibilidades de adesão/inscrição, mais chances da sua lista ter bons contatos.

Veja as opções de localização que são bem populares:

  • Feature Box – aqui a caixa fica em destaque no topo do site, com certamente uma grande visibilidade.
  • Sidebar – Essa é a barra que fica de lado e também costuma ser bem visualizada.
  • Topo e final de páginas internas – Se você tem um blog dentro do site, por exemplo, pode inserir uma caixa logo após as postagens. Se o leito ficar satisfeito com o que leu, são grandes as chances dele querer assinar a newsletter para ficar sabendo de novas postagens.
  • Através dos comentários – Existem plug-ins que permitem a adição de uma caixa de inscrição à newsletter como opção na seção de comentários de um site ou blog.
  • Através de cadastros – Muitos portais de compras deixam a opção “você autoriza cadastrar seu e-mail para receber conteúdos?” logo na ficha de cadastro do usuário. Se o seu site trabalha com cadastro de clientes para compra ou reserva de serviços, pode ser um pontapé.

Uma outra estratégia para conseguir esses e-mails através de landing pages é oferecer descontos ou conteúdos exclusivos para quem se interessar em assinar a newsletter. As pessoas adoram saber que estão recebendo algum benefício – e quem não gosta? Isso vale principalmente para negócios B2C – business-to-consumer, ou seja, negócios em que um produto ou serviço é direcionado ao consumidor comum – e não a outros setores específicos da cadeia de produção.

Coloque-se no lugar do seu público e tente perceber o que o faria inscrever o e-mail na lista de uma empresa, oferecendo informações básicas como nome, cidade e claro, o endereço de e-mail.

86_listas_emails2

Para fechar

Você viu aqui que:

1) Nas listas de e-mails estão inseridos os contatos que receberão os conteúdos enviados pela sua marca ou empresa;

2) O ideal é que essa lista seja produzida “a mão”, com destinatários certos e, de preferência, tenham permitido o recebimento deles e naturalmente saibam que aquele e-mail pode chegar a qualquer momento.

3) A sua estratégia de comunicação pode (e deve!) mudar com o tempo, a partir do que vai aparecendo de novidade, mas o valor de uma boa lista provavelmente vai se manter ainda por um bom tempo.

E ai, descobriu como construir boas listas de e-mails e conseguir novos clientes com isso? Não existe fórmula de sucesso, mas ao seguir algumas orientações, o caminho pode ser bem encurtado.

Aproveite a seção de comentários para compartilhar experiências que você já passou usando listas e e-mail marketing. Tem alguma sugestão de assunto para abordamos no próximo artigo? Participe!

Os melhores dias e horários para fazer publicações nas redes sociais corporativas  

O público que está presente nas redes sociais geralmente quer atenção e gosta quando suas colocações são bem vistas e admiradas. Porém, existem alguns momentos onde o uso das redes é mais constante e você tem mais chance de ser visto e de receber interações em suas postagens. Para uma boa estratégia de marketing digital, é essencial conhecer os melhores horários para postar nas mídias sociais. Afinal, é aí que a sua marca ou seu negócio podem ser melhor percebidos.

Quanto mais alcance, melhor. Mas muito além da publicação, há um trabalho intenso de análise de tendências, perfil de usuários, atualização de aplicativos e conhecimento de produto para atrair o público e gerar retorno ao cliente. Para dar uma mãozinha nesse processo, a Sprinklr – especializada em gestão de redes sociais – divulgou sua pesquisa anual Horários Nobres nas Redes Sociais.

A empresa avaliou o comportamento de usuários e marcas no Facebook, Twitter e Instagram durante todo o ano de 2015. Além da visão geral, o levantamento ainda traz uma análise inédita por segmentos de mercado. Para chegar ao resultado abaixo, a Sprinklr analisou mais de 160 milhões de menções nas redes considerando os dias e horários mais movimentados em cada uma delas. Uma ferramenta poderosa para quem quer dar um up no alcance.

Veja neste artigo quais os melhores dias e horários para fazer publicações certeiras nas principais redes sociais, e de quebra, veja quais as frequências ideais por dia ou semana.

Vamos lá?

84_dias_e_horarios1

Menos (ainda) é mais

Pensar que “quanto mais se posta, melhor é” é um erro bastante comum e que acontece com muitas empresas que estão começando a trabalhar com mídias sociais.

Pode parecer que, quanto mais conteúdo for compartilhado, mais pessoas serão alcançadas. Acontece que há dois tipos de feed de notícias nas mídias sociais: um é atualizado por posts recentes (Twitter, Instagram) e outro é atualizado por posts relevantes (Facebook).

No primeiro caso, postar muito conteúdo poderá chatear os fãs. Só porque eles gostam da sua marca não significa que eles consumirão toda a informação que você publica. É preciso maneirar e focar na qualidade para que os posts não sejam publicados sem gerar resultados.

No segundo caso, não adianta publicar com muita frequência se o fundamento utilizado para aparecer na timeline dos usuários é a relevância. No Facebook, por exemplo, os posts aparecem na timeline de acordo com a preferência dos usuários. Quanto mais você curte os posts de uma página, maiores são as chances de você receber suas próximas atualizações.

Resumindo: para melhores resultados, foque na qualidade e não na quantidade.

Melhores dias e horários para fazer publicações

1. No Twitter

O Twitter tem um horário de pico específico das 12h às 18 horas, de segunda a quinta-feira. Em geral, pessoas usam durante ou depois o período de almoço e curtem ler os tweets e links certos postados nessa rede social. E nesse universo, menos é mais: tweets curtos, com menos de 100 caracteres, geram mais engajamento que os maiores.

2. No Facebook

A rede social mais popular do planeta tem suas peculiaridades quando o assunto é o público. O horário de pico de audiência no Facebook é das 13h às 15 horas, em dias de semana. Na realidade, vai ocorrendo um aumento gradual a partir das 9h da manhã, chegando ao topo às 15 horas. Seguir esse horário vai te garantir mais visualizações e, consequentemente, mais engajamento.

3. No LinkedIn

Essa rede social é marcada pela sua forte relação com o âmbito profissional e, não à toa, seu pico acontece fora do horário comercial. Antes ou depois dele há bastante acesso, mas o principal é realmente após as 17h ou 18 horas, de terça à quinta-feira, dias da semana que recebem mais acessos de pessoas de negócios.

4. No Instagram

A rede social das fotos e vídeos está se popularizando cada vez mais. Os horários de maior interação entre usuários variam entre os dias úteis e finais de semana. De segunda à sexta, a hora certa para postar é entre 17h e 18 horas. Já no sábado e domingo, onde ocorre um pico ainda maior, o tiro certeiro é das 13h às 18h. Use os filtros e hashtags que mais geram impacto e pegue seu público de jeito.

5. No Tumblr

O horário de pico é de 19h às 22 horas, especialmente às segundas e terças-feiras, bem como aos domingos. Essa plataforma é ótima para criação de conteúdo institucional ou promocional e se esse é seu caso, essas são as horas ideais para você.

6. No Pinterest

Os picos são em dias úteis, em dois horários, das 14h às 16 horas e das 20h às 23h. O tráfego é ainda maior no final de semana e o crescimento é progressivo a partir das 12 horas. As estatísticas mostram que fotos que não contém rostos humanos têm mais chances de serem compartilhadas.

Quantidade por dia

Já falamos sobre a quantidade ideal na hora de programar postagens nas principais redes sociais. Recapitulando:

1. No Twitter

Devido às suas características, o Twitter é o espaço ideal para compartilhar novidades sobre a sua marca, cobrir eventos ao vivo, aproveitar as hashtags para maximizar sua exposição e encontrar usuários influentes. Por isso, trata-se de um meio fundamental para executar as suas campanhas de marketing nas redes sociais.

Pra que os seus conteúdos cheguem até a sua audiência, os especialistas recomendam um máximo de 3 tweets por dia. O número ideal para estar sempre presente no Twitter é de 5 tweets por dia.

2. No Linkedin

O LinkedIn é a maior rede social profissional, com milhões de usuários ativos. Por este motivo, é o melhor espaço para encontrar clientes na atualidade. Também é ideal para promover a sua marca e encontrar os melhores candidatos para trabalhar em equipe. Já viu algumas regras de etiqueta desta rede?

O ideal para conectar com a audiência, de acordo com especialistas, é publicar um post por dia de trabalho. Ou seja, de segunda à sexta-feira.

3. No Youtube

O Youtube é a mais importante rede social de vídeos da atualidade, com mais de 1 bilhão de usuários registrados em todo o mundo. Nele, você pode promover a sua marca ao criar vídeos com conteúdos relevantes para a sua audiência e também usar o serviço de Publicidade no Youtube.

Já sobre a frequência de publicação no Youtube, os experts em marketing nas redes sociais recomendam pelo menos um vídeo por semana. O número ideal é de 2-3 vídeos por semana.

4. No Instagram

A cada dia, o Instagram vai se consolidando com a maior rede social com foco nas imagens.

Por lá é aconselhável pelo menos uma vez por dia, com frequência ideal de duas vezes diárias.

Mais destaques do estudo a cerca dos melhores dias e horários para fazer publicações

  • A análise geral de assuntos das redes sociais é composta por Finanças (32,2%), E-commerce (25%), Varejo (21,5%), Educação (8,7%), Beleza e Higiene (7,7%), Saúde (3,1%) e Moda (1,8%);
  • Terça, quarta a quinta-feira são os dias com mais interação no Facebook;
  • O Instagram apresenta picos de 80 mil menções de usuários nas quartas e quintas-feiras no período da noite (entre 20h e 21h);
  • O horário de pico do Twitter coincide com o horário nobre da televisão;
  • Um tweet dura em média 2h48, já um post no Facebook permanece ativo por 3h12;
  • Um link no Youtube dura mais que um tweet e post no Facebook juntos, com uma meia vida de 7h24;
  • Quanto mais rápido um fluxo se move, mais frequentemente você deve postar;
  • Grandes marcas geralmente postam uma única vez por dia no Facebook;
  • Usar hashtags no Instagram pode tornar suas fotos mais populares, pois elas funcionam como keywords;
  • No Google+, o conteúdo dos posts deve ser mais formal e profissional que no Facebook;
  • No LinkedIn, as pessoas esperam que seus posts tragam algum benefício profissional. Foque em qualidade;
  • O Pinterest prioriza conteúdo recente. Dê pin e repin para que seus posts apareçam nas buscas recentes;
  • Republicar um tweet pode gerar 50% mais tráfego na segunda postagem;
  • No Tumblr, não se esqueça de usar tags e botões que tenham a ver com seu posts.

Analisando resultados

Diante dos resultados, você empreendedor deve ter em mente o quão difícil é se destacar num ambiente tão concorrido. É importante não esquecer que o seu público é único e cada rede social tem um perfil e uma forma diferente de trabalhar.

O planejamento é a chave para extrair o máximo das ferramentas e alcançar os consumidores. O grande desafio agora é descobrir como produzir um conteúdo relevante e engajador e, ainda, como se fazer notar no momento que seu consumidor está conectado. Atenção com o time é uma forma excelente de não perder oportunidades. Boa sorte!

84_dias_e_horarios2

Resumo para fechar

Você viu aqui que:

1) Se você quer popularizar o que posta e criar mais conexões entre sua marca e seu público, seguir os horários de pico é interessante;

2) Mas vale lembrar que esse também é o momento de maior concorrência, quando todo mundo está ativo na rede e, portanto, seu post pode acabar se perdendo no meio das muitas atualizações;

3) Mantenha a qualidade do conteúdo e preocupe-se mais com os hábitos do seu público-alvo do que com os horários em si.

E ai, o que achou dessas estatísticas? Há algum detalhe que você não tinha percebido e que agora fará diferença na sua estratégia de marketing digital? Não se esqueça de compartilhar suas experiências conosco através dos comentários! Até o próximo artigo!

Qual a melhor frequência para programar postagens e melhorar o marketing de conteúdo

Voltando a falar sobre estratégias de marketing nas redes sociais, é importante destacar algumas orientações e cuidados para obter sucesso: ter planejamento, bons conteúdos e um tiro certeiro no público-alvo. As postagens de marketing de conteúdo podem ser muito mais assertivas quando passamos a programar postagens.

Cada rede social tem uma dinâmica própria que influencia diretamente a frequência de publicação que você precisa respeitar para que as suas mensagens sejam vistas pelo seu público. O que funciona no Twitter não necessariamente irá funcionar no Linkedin, e por aí vai.

Os especialistas dizem que, para conseguir uma difusão ótima nas mídias sociais e construir uma presença relevante, é fundamental estar atento às atualizações constantes.

Trata-se do processo pelo qual um usuário vê a sua publicação, se interessa por ela graças ao título e/ou uma imagem atraente e, depois, compartilha o conteúdo com os seus contatos. Isso representa uma grande conquista para a sua marca, já que, para os seguidores do usuário, o ato de compartilhar é visto como uma recomendação qualificada do seu conteúdo.

Vamos ver neste artigo quais as frequências de publicação ideais para cada rede. Vamos lá?

Post-it

Programar postagens – Vezes x dia

Como você já sabe, o Facebook é a rede social com a maior quantidade de usuários no mundo e ideal para alavancar alguns negócios, principalmente os locais.

Sendo assim, para que as suas publicações sejam vistas pelo seu público-alvo, os especialistas recomendam que grandes marcas publiquem apenas uma vez por dia. Já os pequenos negócios podem publicar de 3 a 5 vezes por dia.

1. No Twitter

Devido às suas características, o Twitter é o espaço ideal para compartilhar novidades sobre a sua marca, cobrir eventos ao vivo, aproveitar as hashtags para maximizar sua exposição e encontrar usuários influentes. Por isso, trata-se de um meio fundamental para executar as suas campanhas de marketing nas redes sociais.

Pra que os seus conteúdos cheguem até a sua audiência, os especialistas recomendam um máximo de 3 tweets por dia. O número ideal para estar sempre presente no Twitter é de 5 tweets por dia.

2. No Linkedin

O LinkedIn é a maior rede social profissional, com milhões de usuários ativos. Por este motivo, é o melhor espaço para encontrar clientes na atualidade. Também é ideal para promover a sua marca e encontrar os melhores candidatos para trabalhar em equipe. Já viu algumas regras de etiqueta desta rede?

O ideal para conectar com a audiência, de acordo com especialistas, é publicar um post por dia de trabalho. Ou seja, de segunda à sexta-feira.

3. No Youtube

O Youtube é a mais importante rede social de vídeos da atualidade, com mais de 1 bilhão de usuários registrados em todo o mundo. Nele, você pode promover a sua marca ao criar vídeos com conteúdos relevantes para a sua audiência e também usar o serviço de Publicidade no Youtube.

Já sobre a frequência de publicação no Youtube, os experts em marketing nas redes sociais recomendam pelo menos um vídeo por semana. O número ideal é de 2-3 vídeos por semana.

4. No Instagram

A cada dia, o Instagram vai se consolidando com a maior rede social com foco nas imagens.

Por lá é aconselhável pelo menos uma vez por dia, com frequência ideal de duas vezes diárias. E atenção, porque há horários chave para postar, no que se refere ao engagement de cada publicação: das 15:00 às 16:00 e o outro pico se encontra às 02:00.

8 ferramentas para programar postagens

Veja ótimas ferramentas para Social Schedule que, com certeza, vão facilitar muito as ações de marketing do seu negócio.

1. HootSuite – https://hootsuite.com/pt

Ela é bastante conhecida no meio digital e sua funcionalidade gira em torno da possibilidade de se programar atualizações que serão feitas para grande parte das redes sociais. O legal do HootSuite é que ele está disponível tanto para celulares quanto para computadores com sistema Linux, Windows e MAC. Há recursos gratuitos e pagos.

Um ponto muito positivo do HootSuite é que ele permite ouvir o que o público tem a dizer e isso se dá pelo fato de ser possível responder às pessoas usando um único painel. Além disso, ele ajuda na tarefa de publicação de conteúdos que interessem ao público e os mantenha próximo.

2. Revelabit – www.revelabit.com.br

Esta ferramenta é brasileira, o que já constitui um diferencial. A ferramenta Revelabit tem como função programar posts no Facebook e Twitter. É possível agendar a programação de mais de uma conta ao mesmo tempo, o que aumenta ainda mais o alcance da empresa.

A ferramenta é uma grande aliada do Marketing digital, já que garante que a empresa esteja sempre presente na timeline dos usuários. Além disso, pelos posts já estarem programados, é possível se dedicar a outras tarefas, otimizando o tempo.

3. Buffer – https://buffer.com

Esta ferramenta é muito conhecida e é muito útil principalmente pela sua versatilidade, pois ela permite fazer o gerenciamento de várias redes sociais ao mesmo tempo, o que facilita muito a vida da empresa que faz Marketing em vários espaços virtuais diferentes.

Outro ponto positivo do Buffer é o fato de se poder agendar a frequência das postagens. Assim, a empresa vai estar sempre aparecendo nos feeds e se mantendo “viva” no meio dos internautas. É possível encontrar o Buffer em versões para computador e para celular, além de extensão para o Google Chrome. É possível conectar o Buffer a cintas do Twitter, Facebook, Google + e LinkedIn.

4. Piqora – http://www.piqora.com

A funcionalidade desta ferramenta está associada à rede social Pinterest, que permite o trabalho com imagem. Sabe aqueles murais de fotos pendurados na parede do quarto? Então, o Pinterest é uma versão digital disso. Esse recurso vem crescendo muito e sendo usado como estratégia de Marketing de várias marcas para anunciar seus produtos e diferenciais.

A ferramenta Piqora está relacionada ao Marketing visual e auxilia a lançar o conteúdo correto no momento mais oportuno. Utilizar o Piqora vale a pena por que ele otimiza a interação no Pinterest, abrindo mais um canal para que a empresa interaja com o público.

5. Social Oomph – https://www.socialoomph.com

Esta ferramenta é importante por que faz com que a mídia social seja aumentada. Ela permite realizar a programação de mensagens que deverão ser publicadas, monitorar o funcionamento e as atividades da rede social e realizar a programação de próximos status e fotos publicadas.

Além de tudo isso, é possível também atualizar grupos, compartilhamentos e uma infinidade de outras tarefas próprias da rede social, tudo isso ajudando a ficar mais perto do público e de possíveis clientes, podendo até mesmo mandar mensagem de “boas vindas”, o que configura uma gentileza que causa uma impressão bastante positiva.

6. Later Bro – http://laterbro.com

Todos mundo sabe que, para fazer um bom Marketing, quanto mais perto se estiver de onde o público está, melhor, e o Later Bro facilita a interação com o público de duas grandes redes sociais: o Facebook e o Twitter, sendo preciso escolher uma dessas contas para usar a ferramenta.

Ela é interessante por que permite o agendamento de atualizações: quais serão essas atualizações e quando elas ocorrerão. Dentre os pontos positivismo, estão o fato de as configurações serem bastante simples e a possibilidade de se programar postagens diárias, semanais ou mensais. Além disso, ele não exige pagamento para ser utilizado.

7. Instapult – http://instapult.com

Esta ferramenta é outra opção para aqueles que querem agendar postagens no Instagram. A ferramenta gerencia contas de negócios, facilitando muito a vida de quem quer estar sempre presente nos feeds. Através dela, é possível gerenciar várias contas do Instagram de modo simultâneo, sendo ideal para as empresas que possuem várias contas, cada uma de acordo com um produto ou serviço.

Entretanto, um ponto considerado negativo é que o Instapult está disponível apenas para uso em computadores, não sendo possível utilizá-lo em smartphones, o que dá pode representar um problema para algumas pessoas.

8. Postcron – http://postcron.com/pt

Esta ferramenta é de grande utilidade para as empresas que possuem conta em várias redes e querem fazer um Marketing virtual de qualidade, prático e funcional. O Postcron permite o agendamento de atualizações no Facebook, Twitter, LinkedIn e Google+.

Toda ferramenta que permite agendamento para Google+ vale a pena conhecer, pois são um pouco mais difíceis de encontrar. Um ponto positivo do Postcron é aumentar a presença nas redes, já que os posts estão programados previamente e nenhum imprevisto ou correria do dia a dia vai impedir as postagens. Assim, há uma interação contínua com o público e com os possíveis clientes.

83_frequencia_postagens2

Resumo para finalizar

Vimos por aqui que:

1) Cada rede social tem uma dinâmica própria que influencia diretamente a frequência de publicação que você precisa respeitar para que as suas mensagens sejam vistas pelo seu público;

2) No Twitter, 3 vezes ao dia;

3) No Linkedin, 1 post por dia;

4) No Youtube, 2 vídeos por semana são ideais;

5) No Instagram, 2 vezes por dia são suficientes.

E ai, gostou do post? Quais são as redes sociais que você usa na sua estratégia de marketing online? por que? Compartilhe as suas experiências conosco! Até o próximo artigo!

Os e-books como estratégia de marketing para seu negócio

Pela praticidade, os e-books aparecem cada vez mais, e nos mais variados segmentos, e são geralmente compartilhados em formato PDF, EPUB ou disponibilizado para o Kindle. Geralmente, ele pode ser baixado gratuitamente na internet – ou disponibilizado para download após a confirmação de um pagamento.

Se uma pessoa baixou determinado material, é porque ela se interessa sobre o assunto e pode ser um cliente potencial para adquirir algum produto ou serviço relacionado. Por isso é tão importante produzir um material que ofereça um conteúdo de valor, que de fato agregue algo positivo. A estratégia por trás de um e-book, é criar um relacionamento.

O e-book é um material diferente das tradicionais postagens em blogs: ele é mais denso, aprofundado e apresenta uma sequência lógica bem definida.

Veja neste artigo porque os e-books são ótimas estratégias de marketing, e também como criar um para o seu negócio. Vamos lá?

81_ebooks2

Pra começar, 3 motivos para investir

1 – Interatividade – Os livros digitais são interativos e apresentam diversas possibilidades de recursos para atrair os leitores, como conteúdos multimídia, arquivos de áudio e vídeo, links e infográficos.

Além disso, eles nunca ficam ultrapassados, podendo ter suas informações atualizadas de maneira simples, sempre que for preciso.

2 – Engajamento – Livros digitais bem produzidos e com bom conteúdo tendem a gerar um efeito viral, já que são facilmente compartilháveis.

Quando você investe em conhecimentos úteis à vida das pessoas, há muito mais chances de que elas queiram passa-los para frente do que quando você investe apenas em propaganda. E o melhor: elas fazem isso de maneira voluntária.

3 – Demanda – Quando o tema é bem trabalhado, o livro digital aponta ao consumidor seus possíveis problemas, gerando uma necessidade de solução. Assim, é despertado no leitor um sentimento de urgência em contratar uma empresa que resolva o seu caso – e, neste momento, nada melhor do que a sua, que já demonstrou ter conhecimento sobre o assunto.

Benefícios de investir em um e-book

Os e-books têm ajudado muitas empresas a conquistarem posições de referência no mercado, uma vez que ensina o potencial cliente e vira fonte de consulta sobre o tema. Expor o seu conhecimento, mostrar o quanto é familiar ao problema do seu cliente e que sabe como resolver garante sua entrada no grupo de pessoas/empresas que ele considera experts e autoridades no assunto.

Por ser um material mais rico, o público não se importa de deixar os dados em um formulário em troca da oferta. Isso te dá a possibilidade de gerar Leads: construir uma lista de pessoas que está interessada no tema de negócio da sua empresa e deu informações para que você eventualmente entre em contato com elas.

Por ser valioso e atrativo, um e-book tende a gerar um efeito viral: muitas pessoas compartilham em mídias sociais ou indicam links em seus sites e blogs, práticas que também ajudam o material a ficar bem posicionado no Google.  Por isso, além de gerar leads, os e-

Dicas valiosas para elaborar estratégias com os e-books

  • Aproveite o que sua empresa já tem: É muito comum encontrarmos empresas que já deram palestras ou têm algum tipo de material informativo em seu tema de mercado. Para quem tem um blog, o arquivo de posts também pode ser útil. Se sua empresa já tem esse tipo de conteúdo, é um ótimo ponto de partida e não há porque reinventar a roda buscando algo muito diferente.
  • Apure bem os dados: e-books são materiais que podem ser baixados e usados como consulta, então suas informações devem ser precisas para que o leitor considere uma referência no tema e dissemine o conteúdo.
  • Use uma linguagem leve e direta: ser objetivo e ir direto ao ponto que interessa o leitor é o ideal. O cliente quer informações e soluções rápidas para os seus problemas. Evite os chavões e frases de efeito.
  • Deixe a aparência atrativa: um material bem diagramado, com ilustrações, gráficos e exemplos práticos costuma se destacar muito.
  • Escolha bem o título e crie uma Landing Page atraente: o título é a porta de entrada do público e geralmente é isso que aparece no assunto de e-mail ou posts em mídias sociais em que o material é indicado. Pense em títulos irresistíveis!
  • Planeje a divulgação do material: após a publicação do e-book há algumas ações interessantes para divulgação: postar nas redes sociais, enviar um e-mail para a sua base, montar uma campanha no Adwords, promover no Facebook e conseguir links de outros sites. Comece pelo básico: peça para a sua equipe curtir e divulgar em suas redes para dar o pontapé inicial.

Obtenção de dados importantes pelos e-books

Com programas de CRM (Gestão de Relacionamento com o Cliente) é possível monitorar as atividades dos usuários, inclusive quais e quantos e-books foram baixados. Essas informações podem ser úteis para saber o nível de interesse e de necessidade que o seu potencial cliente tem. Dessa forma, você desenvolve um score (estabelecido entre o setor de marketing e de vendas) e, quando atingido o percentual, encaminha para o time de vendas entrar em contato.

Análise de cliques

Se você já baixou um e-book mediante o cadastro de seu nome e e-mail em algum formulário, saiba que essa é uma estratégia adotada para que o produtor do e-book possa capturar alguns dados, como nome e o e-mail, ou até mesmo outras informações de interessados no conteúdo. Caso seu e-book contenha links externos para o seu site, é muito importante que você mensure os cliques provenientes dele, através de um encurtador de URL, ou dos parâmetros UTM do Google Analytics.

Ferramentas para criar seu e-book

Reunimos algumas ferramentas gratuitas semelhantes a que ela usou para você criar seu próprio e-book com a turma. Veja aí:

1. Livros Digitais – www.livrosdigitais.org.br (em português)

A plataforma gratuita desenvolvida no Instituto Paramitas, em português, é inteiramente online, ou seja, não é necessário baixar e instalar um programa em seu computador, apenas fazer um cadastro para ter acesso à área de criação e publicação. Com uma interface intuitiva, é possível escolher capa, fundo e layout da página a partir de modelos prontos. Você pode publicar o arquivo na web (a obra fica disponível em um endereço online para compartilhar com quem quiser), salvar em HTML (para utilizar um servidor próprio) ou ainda no formato .pdf (para impressão e compartilhamento via email, por exemplo).

2. Papyrus – http://papyruseditor.com/pt/ (em português)

A ferramenta também é inteiramente online, disponível em português e fácil de usar. Basta um cadastro para iniciar a criação dos e-books. É possível escolher um estilo partir de uma lista de modelos de capa e tipos de fonte pré-definidos e personalizá-lo de acordo com suas necessidades. Também dá para inserir imagens e links, além de texto, claro. Há uma funcionalidade para importar textos e imagens a partir de uma URL, o que permite, entre outras coisas, transformar um blog em livro. Ao clicar em “publicar”, a obra fica disponível em uma URL que pode ser compartilhada com qualquer pessoa. Além disso, a plataforma oferece diferentes formas de disponibilizar o material para download nos formatos .pdf, .epub e kindle: gratuitamente, com pagamento social (ou seja, é preciso compartilhar um post de divulgação nas redes sociais para ter acesso ao download) ou em dinheiro (disponível apenas para assinantes do plano profissional).

3. My ebook maker – www.myebookmaker.com (em inglês)

É uma ferramenta online e gratuita para criação de e-books no formato .epub. Após o cadastro, o usuário começa fazendo a capa (com título, autor e uma imagem, se quiser) e depois produz cada capítulo em uma página diferente, que possui um jeitão parecido com o Word. Diferente das outros sites semelhantes, a obra não fica disponível online e deve ser baixada para compartilhamento. O único formato possível para download é o .epub, considerado formato “universal” dos leitores de livros digitais.

4. Book Builder – http://bookbuilder.cast.org/ (em inglês)

Disponível em várias línguas, incluindo o português de Portugal, ele é voltado especificamente para professores e possui diferentes recursos pedagógicos, inclusive para alunos com deficiência. Apesar de ter um visual um pouco mais antigo e ser meio lento, a plataforma é intuitiva e tem funcionalidades interativas: todo livro pode ter um glossário atrelado a ele; o conteúdo pode ser composto por textos, imagens, áudios e links; um recurso de áudio permite que todo o texto possa ser “lido em voz alta” a partir de um clique; e ainda é possível incluir os chamados “assistentes”: são diferentes personagens com a função de apoiar o leitor. O professor define um nome, uma figura e uma voz (masculina ou feminina) e atribui um texto para ele em cada página do livro. Quando o leitor clica no assistente, o texto escrito é enunciado pela voz escolhida. As obras criadas ficam disponíveis para leitura online, download e impressão, e o professor pode optar por publicá-las na Biblioteca Pública, um banco de dados acessível a todos.

81_ebooks1

Resumo para finalizar

Você viu nesse artigo que:

1) Os e-books são interativos e apresentam diversas possibilidades de recursos para atrair os leitores, como conteúdos multimídia, arquivos de áudio e vídeo, links e infográficos;

2) Livros digitais bem produzidos e com bom conteúdo tendem a gerar um efeito viral, já que são facilmente compartilháveis;

3) Os e-books têm ajudado muitas empresas a conquistarem posições de referência no mercado;

Pintou alguma dúvida? Fale conosco através dos comentários! Até o próximo artigo!

Bancos de imagens grátis na internet para a produção de conteúdo do seu negócio

Se você atua diretamente com a produção de conteúdo para o site, blog e/ou redes sociais de sua marca, certamente já parou para procurar a “foto perfeita” que se encaixa perfeitamente para ilustrar uma mensagem ou situação.

As imagens – sejam fotos, ilustrações, gráficos, desenhos ou demais artes gráficas – podem servir para chamar atenção, facilitar a compreensão de algo, ilustrar uma situação, fortalecer pontos de vista, deixar uma mensagem esteticamente mais agradável ou simplesmente para descansar nossa vista entre várias palavras.

Há a preocupação ainda que elas tenham qualidade: indicam uma preocupação maior com a forma, que é capaz de transmitir credibilidade e confiança entre sua marca e seu público.

Este artigo é para você que quer descobrir aonde encontrar boas imagens sem precisar pagar nada, 100% na legalidade. Isso porque a grande maioria das fotos que encontramos pela internet possuem direitos autorais – cedidos ou não. Muitas vezes, um copia, o outro também, o seguinte faz a mesma coisa, e no final, ninguém consegue saber de quem é a autoria da imagem.

Por isso, recorrer à um banco de imagens gratuito é a solução ideal para quem produz conteúdo com uma certa frequência, sem se preocupar com a liberação ou restrição do uso de obras visuais

Nem sempre recorrer ao Google Imagens pode ser uma boa: várias imagens ali possuem direitos reservados. Por isso, aqui você vai encontrar uma lista com os melhores bancos de imagens grátis da internet para a produção de conteúdo do seu negócio.

36_banco_imagens1

Bancos de imagens – a força da imagem em uma publicação

Uma boa imagem associada a um conteúdo pode não ser “tudo”, mas é em boa parte determinante para o sucesso de uma publicação.

Pense em um link compartilhado no Facebook com imagem e outro sem imagem. Não dá nem para comparar… uma publicação com imagem, mesmo em miniatura, ganha muito mais força e tem muito mais chances de ser clicada, diminuindo, por consequência, a chance de perder seguidores, curtidas e leitores.

Outras redes sociais baseadas fundamentalmente no apelo imagético – como Instagram, Snapchat e Pinterest – têm crescido muito em termos de popularidade de investimentos. O próprio Twitter, que iniciou como uma ferramenta de 140 caracteres, já fez sérias mudanças e a cada atualização fica mais visual – fotos, vídeos e gifs foram incorporados ao sistema. As redes profissionais como o Linkedin também usam o recurso em abundância.

Ter a consciência sobre a importância da imagem é fundamental para gastar um pouco mais de tempo na escolha sem medo, e garantir assim melhores resultados com as suas publicações.

Sistemas de liberação e restrição de uso de imagem

A maioria dos bancos de imagens disponíveis na internet contém capturas e ilustrações de toda classe, ordenadas por categorias e geralmente com as licenças Creative Commons ou imagens de domínio público.

Não basta sair vasculhando pela internet e simplesmente salvar no computador para usar depois. É preciso ter certeza de que a imagem escolhida pode ser usada sem que, tempos depois, sua empresa seja acusada de violação de copyright ou de direitos autorais. Assim como o seu conteúdo é protegido, os autores das imagens também têm o direito de proteger a sua produção, não parece certo?

Vamos à diferença entre as principais licenças existentes.

Uma foto de domínio público é aquela que pertence a toda a comunidade sob a forma de um patrimônio coletivo, sem nenhuma restrição. Na prática, uma imagem que se torna de domínio público é uma espécie de herança cultural que um autor deixa para a humanidade depois de um determinado tempo. Diferente de uma obra visual com direito autoral, sistema que regulamenta toda a obra do autor, protegendo-a contra qualquer tipo de violação (plágio, uso sem autorização), por até cem anos após a sua morte.

O Creative Commons outorga ferramentas legais aos autores para proteger e compartilhar suas obras. Através dessa regularização, as fotos podem ser distribuídas e utilizadas de acordo com certos limites estabelecidos por cada proprietário. Em geral, as pessoas costumam permitir o emprego das imagens com atribuição requerida, o qual quer dizer que os créditos da captura (ou seja, o nome do autor) devem ser exibidos.

Já o Copyright é o sistema que concede ao autor de uma obra original o direito exclusivo de uso, e distribuição do seu trabalho, permitindo a ele receber pelo seu trabalho. Têm duração temporária regulada através das leis do país de origem – varia entre um e outro.

Atenção!

É importante que você compreenda esses conceitos para sempre prezar pela escolha de fotos que possuam autorização de uso.

Para se assegurar de que as imagens da sua página não estão infringindo nenhuma lei, é bom dar uma olhada no tipo de normativa que as protege. Em geral, cada site inclui uma seção com seus próprios termos e condições, na qual informam quais atributos os conteúdos publicados nele devem ter.

Em caso de dúvidas, busque saber a origem da imagem para rastrear seu autor. Nesse site aqui, o TinEye, há uma ferramenta de busca que auxilia na identificação do crédito da obra e na identificação de outros sites que também utilizaram a imagem.

Os melhores bancos de imagens na internet

Existem vários sites dedicados à publicação de fotos grátis e sem royalties, geralmente sob licenças Creative Commons. A permissão normalmente dá direito à utilização de fotografias para uso pessoal e comercial, desde que a fonte da imagem seja mencionada e haja link para o autor ou o website.

Na lista que vamos mostrar, a maioria dos bancos de imagens indicam “como” e “onde” é permitido usar as obras visuais, poupando o trabalho de rastrear o autor e conseguir a autorização para uso.

O interessante é que estes ambientes atraem sempre novos artistas e novo material, oferecendo a você e à sua equipe novidades para evitar a mesmice.

Aqui você vai encontrar os melhores bancos de imagens grátis da internet para a produção de conteúdo do seu negócio.

1. Free Images – www.freeimages.com

A primeira alternativa que compartilhamos com você é o Free Images. Trata-se de uma enorme galeria em constante crescimento, que já conta com mais de 350 mil fotografias ordenadas por categorias. Para fazer download de uma imagem, basta se registrar no site. Como diz a mensagem de boas vindas, você pode usar as imagens livremente com fins comerciais, recreativos ou artísticos.

2. Free Digital Photos – www.freedigitalphotos.net

Free Digital Photos é um excelente banco de imagens livres de direitos, no qual você pode encontrar toda classe de temáticas. A maior parte dos colaboradores do site são designers, fotógrafos e ilustradores profissionais, por isso as obras apresentam uma qualidade notável.

3. Dreamstime – www.dreamstime.com/free-images_pg1

Dreamstime está entre as galerias de imagens mais visitadas diariamente. Conta com uma seção de imagens gratuitas, muitas das quais possuem licenças livres ou solicitam atribuição. Além disso, oferece um buscador com inúmeras opções avançadas, que facilita consideravelmente a tarefa.

4. Openphoto – www.openphoto.net

Uma possibilidade muito interessante é o Openphoto, que se apresenta como uma alternativa ao Flickr. Ele oferece aos usuários a opção de fazer upload e compartilhar todos os tipos de imagens, cuja condição para a sua utilização é a atribuição dos autores.

5. Free Photos Bank – www.freephotosbank.com

No Free Photos Bank você encontrará numerosas categorias de imagens grátis, prontas para download. Sob cada imagem são gravados os dados do autor e outros detalhes de interesse, como o tamanho do quadro, a pontuação e as vezes que o arquivo foi compartilhado.

6. FreePik – www.freepik.es

FreePik é um site prático e estético, com mais de um milhão e meio de imagens grátis. Ao clicar em uma imagem para obtê-la, é possível ver o tipo de licença e o site de procedência.

7. Photopin – www.photopin.com

O site Photopin está orientado a pessoas dedicadas a tarefas criativas. Ele oferece uma grande quantidade de arquivos gráficos, disponíveis de maneira gratuita. Trata-se, em sua maioria, de licenças Creative Commons com solicitações de atribuição.

8. 500px – www.500px.com/creativecommons

500px conta com um reservatório de fotografias em constante crescimento. As categorias estão separadas em tipos de licenças e temáticas, de modo que será muito mais simples para você encontrar o que procura.

9. Viintage – www.viintage.com

Um dos sites mais interessantes para baixar imagens grátis é o Viintage. Como o seu nome indica, é um site especializado em cartazes, imagens e pôsters retrô. Uma das vantagens mais importantes é que todos os arquivos são de domínio público.

10. Cepolina – www.cepolina.com/freephoto

Cepolina conta com fotografias procedentes de todas as partes do mundo. As instantâneas estão ordenadas por categorias temáticas e podem ser utilizadas com fins privados e comerciais.

11. Amgmedia – www.amgmedia.com/freephotos

Amgmedia é uma boa alternativa para fazer download de imagens grátis de maneira legal. Apresenta inúmeras categorias e o único requisito é creditar o autor no momento de utilizar sua foto.

12. Free Range Stock – www.freerangestock.com

Free Range Stock é um site que permite obter uma infinidade de imagens para uso comercial. Para isso, solicita um registro por parte do usuário, cujo procedimento é simples. As imagens são de alta resolução e de grande qualidade artística.

13. IM Free – www.imcreator.com/free

IM Free oferece uma significativa coleção curada. Isso quer dizer que ele oferece imagens selecionadas, de grande qualidade, destinadas exclusivamente ao uso comercial e completamente gratuitas.

14. ImageFree – www.imagefree.com

ImageFree põe em suas mãos uma enorme galeria de imagens grátis, que você pode explorar através de categorias. Mesmo assim, ele oferece um buscador com opções avançadas, para dar facilmente o que você precisa.

15. Public Domain Pictures – www.publicdomainpictures.net

Como o seu nome indica, no Public Domain Pictures você pode encontrar uma infinidade de imagens grátis de domínio público. O menu inclui a opção de ver as imagens mais populares e aquelas que estão filtradas por temporadas.

16. Morguefile – www.morguefile.com

Uma excelente galeria de imagens grátis e com a melhor qualidade é a Morguefile. O site propõe uma grande variedade de opções que você pode encontrar clicando na categoria Free Photos do menu.

17. Pixabay – www.pixabay.com

No Pixabay, você encontrará belas fotografias de domínio público. Lá, você pode explorar inúmeras categorias e escolher o tamanho do arquivo que deseja baixar.

18. Rgbstock – www.rgbstock.com

Rgbstock é um banco de imagens criado por uma equipe de fotógrafos e ilustradores. O projeto pretende se converter em um dos sites mais populares de imagens grátis, e já conta com um bom número de arquivos disponíveis.

19. Stockvault – www.stockvault.net

Stockvault  oferece um buscador intuitivo, com o qual você pode encontrar a foto desejada facilmente. Ao clicar em cada imagem, aparece um painel com informações detalhadas sobre cada arquivo.

20. Death to The Stock Photo – join.deathtothestockphoto.com

Death to The Stock Photo oferece fotos grátis, atraentes e legais a cada mês, que são enviadas para o seu e-mail. A única coisa que você precisa fazer é se inscrever no site.

21. BigFoto – www.bigfoto.com

No BigFoto, você pode encontrar toda classe de imagens para usar em seu blog e redes sociais. Não haverá nenhum inconveniente, pois se trata de uma galeria de fotos de domínio público.

22. Gratisography – www.gratisography.com

Gratisography é uma galeria de imagens gratuitas e livres de direitos, que permite o download direto sem a necessidade de se registrar. A coleção é renovada a cada semana e está a cargo do artista Ryan McGuire.

23. Refe – www.getrefe.com

Refe oferece fotos grátis e legais para o seu blog, só que neste caso têm uma temática específica: pessoas interagindo com tecnologia. Se você trabalha nesta área, conseguirá tirar proveito do site, que permite realizar buscas por pacotes ou por palavras-chave.

24. Ancestry Images – www.ancestryimages.com

Ancestry Images é um banco de imagens históricas online. Contém mapas, ilustrações e publicações afins, que podem ser obtidas mediante download direto.

25. FreeMediaGoo – www.freemediagoo.com

FreeMediaGoo te oferece fotos, texturas e ilustrações gratuitas e de domínio público. Não é preciso se registrar para poder obter as imagens.

26. Little Visuals – www.littlevisuals.co

A proposta do Little Visuals é enviar sete imagens de alta resolução para o seu e-mail toda semana. Para recebê-las você deve simplesmente se inscrever, depois disso começará a obter os pacotes, que podem ser utilizados sem inconvenientes legais.

27. Hubspot – http://offers.hubspot.com/free-holiday-stock-photos

Hubspot oferece ao público um pacote de imagens gratuito, como uma promoção. A temática são as férias e a coleção inclui composições de alta qualidade. Requer registro.

28. PicJumbo – www.picjumbo.com

PicJumbo é um aliado ideal no momento de realizar publicações em seu blog e redes sociais. Através de categorias claras, ele oferece milhares de fotografias gratuitas, para que você utilize sem inconvenientes legais.

29. Pickupimage – www.pickupimage.com

Através do Pickupimage, você pode obter fotografias para usar como quiser e sem nenhum custo. O site oferece seções com as imagens mais solicitadas e também permite realizar buscas utilizando palavras-chave ou por categorias.

30. New Old Stock – www.nos.twnsnd.co

New Old Stock é uma excelente galeria de imagens de domínio público. Trata-se de um arquivo histórico, com imagens de alta resolução e temáticas variadas, que vão desde questões tecnológicas até retratos familiares.

31. Superfamous – www.superfamous.com

Superfamous é uma plataforma que permite fazer download das fotografias do designer Folkert Gorter. O site indica que as obras possuem um tipo de licença de atribuição 3.0, por isso quem as utilizar deverá incluir os créditos ao autor.

32. Unsplash – www.unsplash.com

Unsplash oferece envios de imagens de alta qualidade ao seu e-mail a cada dez dias. Os pacotes incluem dez imagens em alta resolução e o único requisito é que você se inscreva no site.

33. Wikimedia Commons – commons.wikimedia.org/wiki/Main_Page

No Wikimedia Commons você pode encontrar mais de 21 milhões de imagens de uso livre. Os arquivos se encontram detalhadamente organizados, e a cada semana novas fotos são adicionadas à coleção.

34. ImageTemple – www.imagetemple.com

ImageTemple funciona como um buscador de imagens de todo tipo. Entre os filtros de busca, você pode marcar a caixa Royalty Free, para obter imagens de uso livre.

35. DNS Fotografia Digital – www.bancodeimagem.com.br

DNS Fotografía Digital é um banco de imagens gratuitas de origem brasileira. O site está em português, mas o design é intuitivo e com a ajuda do tradutor do Google, a tarefa se torna muito simples para pessoas do mundo inteiro.

36. Wellcome Images – www.wellcomeimages.org

No Wellcome Images você encontrará uma grande coleção de imagens de uso livre. A proposta aborda a cultura de todos os tempos, e vão desde temáticas científicas e artísticas até rituais mágicos.

37. Light Matter – www.lightmatterphotography.com

Light Matter é um banco de imagens criado pelo autor Aaron Logan. Ele oferece um buscador que permite fazer o download de imagens grátis e variadas. A licença utilizada é a de atribuição 3.0.

38. BajStock – www.bajstock.com

O site BajStock oferece imagens gratuitas que você pode utilizar creditando o fotógrafo. Para conhecer mais detalhes da licença, você só precisar ir à guia Terms of Use. O site está em francês e em inglês, mas utilizando o Tradutor do Google, você não terá inconvenientes.

39. Compfight – www.compfight.com

Compfight permite a você encontrar imagens do Flickr para fazer download direto. Entre as opções de busca, é possível escolher os tipos de licença disponíveis.

40. Pinterest – www.pinterest.com

Pinterest é uma das redes sociais mais populares atualmente, cuja atividade está relacionada ao intercâmbio de imagens. Para encontrar fotografias de uso livre, basta introduzir os termos de busca public domain.

41. Totally Free Images – www.totallyfreeimages.com

Totally Free Images oferece todo tipo de imagens de uso livre. A galeria inclui mais de 500 mil fotografias que abordam diversas temáticas.

42. Google Advanced Image Search – www.google.com/advanced_image_search

Google Advanced Image Search é uma poderosa ferramenta do Google. Além de ser prática e efetiva, seus parâmetros de busca permitem introduzir o tipo de licença desejado.

43. Pics4Learning – www.pics4learning.com

Pics4Learning está voltado para o âmbito da educação. Por esta razão, dispõe de uma infinidade de imagens livres sobre ciências, artes e outras matérias.

44. Cadyu – www.cadyou.com

Cadyu te dá ilustrações em 2D e 3D sem limitações de uso. O site está voltado para o mundo da animação e permite fazer download direto.

45. Public Domain Photos – www.public-domain-photos.com

Public Domain Photos é um banco de imagens gratuitas e livres. As fotografias são apresentadas em vários tamanhos, que podem ser selecionados de acordo com a própria necessidade.

46. Classroom Clipart – www.classroomclipart.com

Classroom Clipart é uma galeria de imagens de uso livre, orientadas a fins educativos. Por esta razão, as temáticas são matérias como história, biologia ou geografia.

47. Picdrome – www.picdrome.com

Picdrome permite a você fazer download de fotografias gratuitas sob licenças Creative Commons. A cada dia novas imagens são adicionadas, que podem ser usadas creditando o autor.

48. CC Search – search.creativecommons.org

CC Search é um buscador de imagens regularizadas por licenças Creative Commons. O motor trabalha com mais de 13 sites especializados e permite ativar o filtro disponíveis para uso comercial antes de cada busca.

49. Free Images UK – www.freeimages.co.uk

No Free Images UK você pode encontrar todo tipo de fotografias, através de diferentes categorias. Para selecionar o tipo de licença desejado, você deve se dirigir ao menu Advanced Search.

50. 4Freephotos – www.4freephotos.com

Finalmente, recomendamos o 4Freephotos como uma boa fonte de imagens de uso livre para o seu blog e redes sociais. O site inclui texturas e renova o seu stock todo mês.

Trabalho de edição

Você deve ter reparado que muitos desses sites que mostramos possuem padrões de tamanho para a visualização de imagens, ou seja, tamanhos e/ou proporções fixas para que você encaixe o seu conteúdo.

Por isso, é necessário garantir que na sua divulgação, a imagem tenha o mesmo impacto da versão original, sem algum corte que a deixe sem sentido.

Cuidado também com a edição das imagens. Não faça nada que possa desvirtuar ou descaracterizar uma obra criada por outra pessoa.

36_banco_imagens2

Últimos blocos

E ai, há algum desses sites que você gostou mais ou já utilizava antes? Gostaria de indicar uma outra opção de banco de imagem gratuito? Utilize a seção de comentários abaixo e conte-nos o que você achou!

Esperamos que você tenha conseguido encontrar os melhores bancos de imagens grátis da internet para a produção de conteúdo do seu negócio.

Não se esqueça: ao reservar um tempo para cuidar das imagens que irão compor o seu site, blog ou redes sociais, você não estará perdendo tempo, mas tendo um valioso acréscimo de qualidade. Boa sorte nas pesquisas!

Otimização de sites mobile para se destacar nas ferramentas de busca

O uso de smartphones e tablets como prioridades no acesso à internet já superou a opção pelo uso de desktops e notebooks, o que claramente comprova que é preciso contar com um site mobile devidamente preparado para atender a essa demanda. Não importa a marca, geração, cor ou o modelo, jovens, adultos, idosos e até crianças possuem celular, não é mesmo? Por isso, se você ainda não se atentou para esse detalhe, veja aqui quais são os passos para realizar uma otimização de sites mobile no site da sua empresa ou marca.

Na contramão desse movimento, muitas empresas perdem tempo, perdem tráfego e perdem a oportunidade de fechar muitos negócios. Se criar um site é importante, fazer uma otimização constante evita, entre muitos contratempos, que seu público escape por entre os dedos logo nos primeiros minutos de acesso, caso venha a ter uma má experiência nesse ambiente. Além desses fatores, outro motivador para o investimento é que, hoje em dia, a qualidade de exibição de páginas via dispositivos móveis nada deixa a desejar em termos de qualidade para um computador convencional.

Vamos explorar neste artigo o que é preciso para fazer uma otimização mobile completa, com orientações recomendadas pelo gigante Google. Já falamos outras vezes que o buscador mais famoso do mundo também tem a fama de “penalizar” sites que não possuem essa flexibilidade para dispositivos móveis – empurrando sua posição lá para o final. Isso, desde meados do ano passado.

59_otimizacao_mobile1

Otimização com foco em mobile

Em primeiro lugar, é necessário entender o que o termo “otimização para mobile” realmente significa. Quando alguém fala em “otimização” no mundo do marketing online, é comum o termo ser interpretado imediatamente como algo que visa maximizar visibilidade e melhorar o rankeamento de sites nas ferramentas de busca.

No entanto, é importante dizer que uma versão mobile de um site, seja ela direcionada a celulares tradicionais ou smartphones, tem como principal função ser otimizada para a experiência do usuário, e para a conversão dessa mesma experiência em fidelização, reconhecimento, autoridade ou vendas, que por sua vez irá contribuir para a reputação do seu site como um todo.

Ou seja, não se preocupe apenas com números em termos de visita – pelo menos no começo. A ideia é criar, aos poucos, uma comunidade de relacionamento e boas experiências dentro do seu site.

Estatísticas convincentes para implementar a otimização de sites mobile

Abaixo, apresentaremos algumas estatísticas que comprovam a importância de se investir nesta demanda quando se trata de comércio eletrônico. Embora a maioria dos dados sejam referentes a pesquisas de comportamento feitas nos Estados Unidos, o Brasil segue a mesma tendência.

  • 78% das buscas móveis sobre empresas locais resultam em uma compra – Uma das estatísticas mais surpreendentes em relação ao uso de celulares é o alto percentual de conversão vindas de pesquisas móveis. A porcentagem de pesquisas que resultam em uma compra através do celular mostrou vantagem significativa em relação às taxas de PC/Laptop e tablets;
  • Dois em cada três clientes preferem acessar um site por um aplicativo móvel – A maioria dos usuários querem uma experiência mobile sem a barreira de um aplicativo. Quando um usuário precisa baixá-lo a fim de navegar ou concluir uma transação, esta é considerada uma barreira desnecessária;
  • 75% dos compradores via mobile usaram um cupom online – Com o aumento das compras via mobile, veio um previsível declínio no uso de cupons de papel. No entanto, donos de negócios online sabiam que cupons online seriam o próximo passo. As pessoas estão muito ligadas a descontos e promoções, então, por que não tê-los também no smartphone? É por isso que os usuários adoram esses cupons. Não por acaso um estudo da Key Ring destacou que os usuários móveis – 75% deles – os utilizam com frequência;
  • Mais de 1/3 de todas as compras de comércio eletrônico foram feitas em um smartphone durante a temporada de compras de Natal – A temporada de festas é uma excelente oportunidade para captalizar compras através de aparelhos móveis. A Black Friday é tradicionalmente o dia em que os compradores acordam mais cedo, enfrentam longas filas e atropelam uns aos outros em um enorme esforço para comprar TV’s de plasma e aspiradores de pó com desconto. Mas quem quer arriscar a vida e perder o sono podendo realizar compras no conforto de própria cama? Ao invés do nome “Black Friday”, empresas tem feito um dia “Mobile Friday”, com ótimos resultados;
  • Compras online são oficialmente uma atividade mais ligada ao mobile do ao desktop, de acordo com dados da ComScore;
  • 44% dos minutos gastos em e commerce advêm de telefones celulares;
  • 11% dos minutos gastos em e commerce advêm de tablets – Mas, embora os clientes gostem de navegar em seus dispositivos móveis, eles parecem relutantes em fechar uma compra. A provável razão para isso é que o processo de pagamento em dispositivos móveis é complicado e difícil. Ao aperfeiçoar o processo de pagamento via mobile, os varejistas podem aumentar as suas vendas móveis;
  • No Brasil, 59% dos usuários de smartphones fazem compra pela internet pelo menos uma vez por mês e 82% buscam informações do produto na internet antes de adquiri-lo.

Como fazer uma otimização de sites mobile bem sucedida

Vamos mostrar agora as boas práticas de otimização para mobile recomendadas pelo Google. Para isso, listamos alguns critérios considerados pelo buscador. Veja só:

1) Botões bem localizados

Deixe os botões do seu site em posições fáceis de serem visualizadas, em destaque. Assim, o usuário saberá aonde ir.

2) Menus simplificados

Nada de listas com vários subitens difíceis de se navegar. Quanto mais simples e curtos os menus, melhor para visualizá-los em telas de smartphones e tablets.

3) Atalhos para a página inicial

Use a logo do site como link rápido para a página inicial, o que agiliza a navegação do usuário caso ele não encontra o que procura em uma página, e deseja reiniciar a busca (sem precisar digitar o www de novo).

4) Formulários curtos

Quanto menos campos a se preencher, mais rápido para o usuário mobile, que está sempre com pressa. Isso vale para cadastros das mais diferentes formas.

5) Páginas bem leves

Esqueça os sites em flashes, famosos pela lentidão de carregamento. A solução encontrada por web designers ao longo do tempo foi investir no flat design, ou seja, em layouts limpos, com poucos recursos e bem estruturados, que dão prioridade aos espaços em branco e às mensagens significativas, excluindo tudo o que é supérfluo. Invista nisso!

6) URLs relevantes

As URLs também fazem parte da otimização de um site, pois além de economizar espaço, tempo e esforços, você chama a atenção dos mecanismos de busca pela palavra-chave alocada na URL, aumentando a atratividade do seu site mobile nos resultados de busca orgânica.

7) Ferramentas de busca inteligentes

Já que no site mobile tem pouco espaço para divulgar soluções, é preciso contar com uma ferramenta de busca inteligente em destaque e de fácil acesso logo na primeira tela do usuário. Assim, se ele já sabe o que procura, fica muito mais fácil digitar uma palavra-chave do que ficar rolando a tela indefinidamente até encontrar o que quer.

8) Aproveitamento do poder da geolocalização

Como muitos dos consumidores buscam por produtos e serviços na região onde se encontram, a geolocalização acaba sendo uma grande aliada na otimização de seu site para o mobile. Assim, se o usuário está com o GPS ligado, sua empresa é identificada com muito mais facilidade, podendo aumentar o número de conversões só por aparecer no mapa, atraindo os clientes para sua loja física.

10) Compre com 1 clique

Se você vende pela internet, sabe que o e-commerce é um dos mercados que possui maior acesso por dispositivos mobile. Sendo assim, invista em um check-out rápido e ágil, de preferência com a opção de se comprar com apenas 1 clique, sem a necessidade de fazer longos cadastros (dê a opção do cliente fazer isso em outro momento). Assim, o consumidor ganha tempo e você não perde a venda, pois não dá espaço para o cliente reconsiderar a compra.

Concluindo o conceito de otimização completa

Por fim, a recomendação é que essas orientações sejam aplicadas em todas as páginas do site.

O conteúdo que você compartilha no seu site também pode ser otimizado para o ambiente mobile, já que as pessoas buscam informações rápidas e claras nesses dispositivos. Dessa forma, em vez de criar um post com 500 palavras, que tal condensar uma informação para metade desse número, de forma a poupar tempo de seus visitantes e clientes.

Veja algumas ferramentas bem práticas para melhorar o marketing de conteúdo do seu site.

59_otimizacao_mobile2

Conclusão e resumo

Portanto, vimos que a otimização de sites mobile é bastante eficiente para a realização de negócios on-line. Por esta razão é preciso que toda a tarefa fique sob os cuidados de uma equipe que domina o assunto. Desta forma será possível obter o melhor retorno sobre o investimento realizado. Vale ressaltar que os resultados de uma ação para otimização de sites para mobile podem ser acompanhados mês a mês, verificando-se sua eficiência em gerar novos negócios.

Vamos ao resumo do que vimos aqui?

1) A otimização de sites mobile vem ganhando espaço e se tornando uma maneira eficiente para se fechar negócios;

2) Quase todos os estudos, relatórios, estatísticas e artigos que são publicados sobre comércio eletrônico móvel tem previsões bem surpreendentes sobre como o consumo através de dispositivos móveis está em alta;

3) Hoje em dia, a qualidade de exibição de páginas via dispositivos móveis nada deixa a desejar em termos de qualidade para um computador convencional.

4) As empresas e marcas que dão aos usuários a melhor experiência nos dispositivos móveis são beneficiados pelas ferramentas de busca do Google;

E ai, o que achou do artigo? Se você ainda não dá a devida importância ao uso de mobile para compras online, repense sobre o assunto e aja o quanto antes. Qualquer dúvida ou sugestão, utilize o espaço dos comentários e converse conosco! Até o próximo artigo.

Os melhores sites e ferramentas para criar um portfólio online grátis

Que o portfólio é uma excelente chance para os empreendedores mostrarem a cara, a qualidade do trabalho e o potencial criativo, isso você já sabe. No entanto, isso precisa isso precisa ser feito com transparência e responsabilidade: além de seguir um bom manual de boas maneiras nos perfis sociais (e evitar gafes com chefes, clientes e parceiros), é importante ter um bom portfólio online para aproveitar melhor as oportunidades que podem surgir.

Claro que esse é um recurso que deve ser utilizado apenas para profissionais que realmente têm um trabalho a ser mostrado – fotos, vídeos, imagens e flashes que retratem a sua atividade (ou pequenos fragmentos dela).

Vamos mostrar neste artigo que um bom portfólio é uma ótima mão no trabalho de divulgação, mas também para fazer networking e até mesmo conseguir boas vagas de emprego e/ou freelancer. Isso, claro, sem jamais mentir sobre algum dado ou informação da sua vida ou empresa, e sempre acrescentando valor às pessoas que conhecer.

O portfólio online é uma das melhores maneiras de mostrar o seu potencial enquanto empreendedor, e dar uma palinha ao público sobre o que você faz de melhor. Por isso aproveite as dicas que vamos mostrar aqui para criar ou incrementar o seu portfólio online.

Separamos 10 ferramentas muito úteis na hora de criar um portfólio bem apresentável. Veja só:

56_sites_portfolio1

10 sites para criar um portfólio online

1 – Adobe Portfolio – http://myportfolio.com/ (em inglês)

O novo sistema de criação de portfólios da Adobe promete muito: é gratuito para quem tem uma conta na Adobe (cadastro grátis) e é capaz de sincronizar seus trabalhos e contatos com outras ferramentas (como o Behance, que vamos falar mais à frente). O próprio ID “my portfolio” já demonstra a coragem do projeto de se tornar uma referência.

Eles contam com ferramentas próprias como personalização de domínio, layouts, biblioteca de fontes, entre outros recursos. Os planos custam a partir de 10 dólares.

2- Wix – http://pt.wix.com (em português)

Essa opção é bastante popular no Brasil graças ao grande investimento em divulgação logo nos primeiros anos de criação. Ele já começa já disponibilizando um vídeo com passo a passo de como criar a sua página juntamente com o “Editor Grátis Wix”, em que você consegue montar portfólios com praticidade, assim como construir galerias e adicionar quantas páginas quiser.

Caso esteja disposto a investir além do seu tempo, existe ainda a versão paga do Wix denominada “Premium” para aprimorar os serviços oferecidos. O chamado “pacote para empreendedores e freelancers” custa R$ 28,90 por mês e tem 10 GB de armazenamento.

3 – Carbonmade – https://carbonmade.com/ (em inglês)

O Carbonmade é um dos mais tradicionais e mais conhecidos sites criadores de portfólio. É muito intuitivo, leve, rápido, bem construído e otimizado para buscas, questão extremamente importante para o profissional aparecer melhor posicionado nos resultados do Google.

Na versão gratuita, há uma certa limitação em layouts, não oferecendo muitas opções de templates. No entanto, as opções disponíveis são bem legais.

Ele também conta com uma versão paga que permite inserir mais imagens e categorias, e custa a partir de 6 dólares ao mês.

4) – Kawek – www.kawek.net (em português)

Este serviço é gratuito e brasileiro. Com boa variedade de temas, e totalmente customizáveis, há 30 álbuns disponíveis para serem criados, cada um com até 20 imagens, flashes ou vídeos. Dá para escolher as cores, configurar o layout, editar o plano de fundo e personalizar tudo à sua maneira e gosto, deixando o portfólio com a sua cara.

Ainda é possível obter estatísticas com a sua conta Google Analytics.

A “conta pro” dá mais opções de personalização e outras vantagens, como espaço ilimitado. A assinatura mensal sai por 15 reais.

5 – PortfolioBox – http://www.portfoliobox.net/pt/ (em português)

O PortfolioBox é bem completo mesmo em sua versão gratuita. Permite até 50 imagens e a escolha entre diversos layouts diferentes para seu portfólio: tudo sem anúncios desagradáveis.

Na versão paga, a 9 dólares/mês, ele oferece muito mais que apenas uma vitrine. Inclusive permite a criação de um e-commerce junto com seu portfólio, entre outras funcionalidades bem interessantes.

6 – Cargo Collective – http://cargocollective.com/ (em inglês)

Já o Cargo Collective é um dos sistema de construção de portfólios mais completos do mercado.

Você pode escolher um entre muitos templates já na versão gratuita e ele é levemente customizado também (para quem entende um pouco de HTML e CSS). Mas se você não faz ideia do que seja isso, dá para usufruir bem das funções básicas – que não precisam de um grande conhecimento sobre programação web.

7 – Krop – http://www.krop.com/ (em inglês)

O Krop é relativamente limitado na sua versão gratuita. Nele você não pode personalizar o layout, mas consequentemente, não exige em nada conhecimento de HTML ou CSS.

O que diferencia esse de outros sistemas, é que ele tem um sistema próprio de vagas de emprego na área. Como o site não é nacional, as vagas também não são (mas isso pode ser encarado como uma oportunidade também).

8 – Behance – https://www.behance.net/ (em português)

O Behance tem um grande potencial como site de portfólio, mas também é conhecido no mercado como uma espécie de rede social de profissionais criativos.

É, sem dúvida, uma grande fonte de inspiração e oferta de trabalho para muitos empreendedores. Profissionais das diversas áreas da criação postam seus melhores trabalhos por lá e esperam por likes e comentários.

Assim como outros sites que falamos agora, ambos tem mural de vagas para vocês buscarem uma nova oportunidade.

Não há limites de fotos, uploads e customização: basta ter um e-mail e se cadastrar para utilizar a ferramenta. Nada mal, né?

9 – PhotoShelter – http://www.photoshelter.com/ (em inglês)

Esta é uma opção utilizadal por fotógrafos profissionais famosos, incluindo Zack Arias e Joe McNally.

Você pode escolher exatamente como você quer seu portfólio seja exibido: uma única imagem, foto parede ou através de uma apresentação de slides. Você também pode usar livremente o seu próprio nome de domínio, logotipo e marca d’água.

É permitido o upload de imagens ilimitadas e quase todos os tipos de arquivos populares, incluindo RAW, PSD, TIF, PDF e JPG.

O plano básico de PhotoShelter pode ser adquirido por 10 dólares por mês, e fornece nove modelos personalizáveis, 4GB de arquivamento de imagem e armazenamento em nuvem. Um plano Pro também está disponível por 50 dólares por mês e permite o arquivamento ilimitado em nuvem para seus projetos.

10 – DeviantArt – http://www.deviantart.com/ (em inglês)

Por fim, este site é bem conhecido em função da quantidade de usuários, em especial artistas. São 7 milhões de usuários e mais de 62 milhões de contribuições dos frequentadores!

Ele é o maior site artístico e a melhor forma de procurar informações, obras e muita inspiração para sua arte. É uma ótima pedida para profissionais em design e desenho.

Tenha um portfólio online único e relevante

Visto todas essas opções, vamos falar sobre um aspecto bem importante para levar em consideração na hora de criar e manter um portfólio online.

Um portfólio pode ter diversos formatos, feitios, cada um com um toque especial de quem o realiza. No entanto, ele precisa de ter sempre alguns aspectos para se distinguir dos outros.

Atualmente, o mercado procura profissionais além da capacidade de resolver problemas. Por isso, saber apresentar um projeto desenvolvido do início ao fim de forma profissional é essencial na hora de se pensar um portfólio.

Pense na possibilidade de mostrar o processo criativo completo de um projeto. Desde o planejamento, passando pela execução, até chegar ao produto final. Afinal de contas, nada surge do acaso: ao longo de um processo criativo, ideias e inspirações vão sendo somadas até chegar àquilo que queremos (ou que o nosso cliente exige).

Desta forma irá mostrar que é capaz de solucionar problemas e desenvolver um projeto do princípio ao fim.

Além disso, construir bons jobs e apresentar uma boa dose de criatividade continuam sendo critério de avaliação no mercado. Um bom portfolio online, bem elaborado e concebido sob uma perspectiva diferenciada (e até mesmo inusitada), pode trazer boas surpresas a você.

Exemplos de portfólios online altamente criativos para se inspirar

Há algumas profissões que dominam a área de portfolios online (como fotógrafos, designers, webdesigners e publicitários em geral).

Por isso, veja alguns exemplos de portfólios bem criativos que podem servir de inspiração para o seu trabalho.

56_sites_portfolio2

Resumo e até logo!

1) Suas fotografias, vídeos, ilustrações e flashes merecem um lugar em que você ganhe maior visibilidade e assim consiga atrair novos clientes: o portfólio online;

2) Além de divulgar seu trabalho nas redes sociais, invista seu tempo em criar uma plataforma online que tenha as ferramentas certas para você;

3) Existem muitas opções para você pesquisar, e cada uma delas oferece variadas opções de ferramentas: basta você encontrar uma que se adapte. Aqui separamos 10 opções;

4) Um portfólio bem elaborado e concebido sob uma perspectiva diferenciada (e até mesmo inusitada), pode se transformar em um passaporte para boas e novas oportunidades profissionais. Por isso, invista na criatividade!

Sabemos que existem vários outros sites do gênero, com funções bem atrativas. Se você conhece e recomenda algum outro, não deixe de comentar. Sua participação pode ajudar outros empreendedores como você a obter uma grande visibilidade na internet. Até o próximo artigo!

Psicologia das cores para aumentar conversões, vendas e cliques

As cores que você utiliza em seu site, nas peças criadas para redes sociais, no e-mail marketing e até em uma apresentação de slide show dizem muito sobre o que você quer transmitir.

Todos sabem da importância de escolher bem as cores na hora de criar uma logomarca, logotipo, ou mesmo definir o manual de identidade do seu negócio. O que muita gente nem se toca é que não é apenas uma questão estética: as cores podem ajudá-lo a conquistar novos clientes, aumentar conversões, impulsionar vendas e elevar o número de cliques em uma estratégia de marketing digital.

Como? É isso que este artigo vai te mostrar. A psicologia das cores tem muito a ensiná-lo, por ser um dos fatores com maior influência a nível “subconsciente” no processo de aceitação e decisão de compra. Mais vendas, mais inscrições, mais downloads.

É necessário entender que o design de um site, e-mail, peça ou apresentação em Power Point não deve ser pensado apenas para agradar visualmente, mas também deve ser otimizado para guiar o usuário ao longo de uma sequência de pensamentos, para que realize a ação que nós esperamos dele.

Nesse sentido, a cor é um componente fundamental que exerce influência em todo este processo e por isso é tão importante.

Aprenda aqui a utilizar a psicologia das cores para alcançar seus objetivos! As modificações que você poderá fazer são muito simples e podem significar mudanças bem significativas.

53_psicologia_cores1

A psicologia das cores em profundidade

Já existiram várias tentativas de classificar as reações do consumidor a diferentes cores individuais. Entretanto, a verdade é que a cor depende muito de experiências pessoais para ser universalmente traduzida em sentimentos específicos. São fatores de cunho pessoal como experiências passadas, preferências e diferenças culturais.

Estudo sobre impacto das cores no marketing apontam que 90% dos julgamentos iniciais de produtos podem ser baseados apenas na cor. Outras pesquisas falam sobre o sentido de maior influência na decisão de compra: o cérebro precisa de 90 segundos para realizar uma análise subconsciente do produto e ter uma opinião a respeito de algo.

Muita coisa, né?

Em outras palavras, isso quer dizer que as cores influenciam como os consumidores veem a personalidade da marca, e o que ela quer passar e imprimir. Levando em consideração que nosso cérebro prefere marcas reconhecíveis, fica ainda mais fácil perceber a importância das cores na criação da identidade da marca.

As cores mais usadas pela indústria e o que elas transmitem

Você provavelmente já ouviu falar que verde converte mais do que vermelho ou que as cores usadas no seu site ou e-mail marketing podem influenciar uma ação. Muitos e-mails marketing inclusive, abusam dessas duas cores no texto ou layout, o que pode ser um fator determinante para ele parar direto na caixa de SPAM.

Fato é que não há uma única cor ou um par de cores que sejam os melhores para conversões. Segundo pesquisas, o princípio psicológico conhecido como “efeito isolamento” mostra que um item que se destaca tem mais chances de ser lembrado. Daí que as pessoas são capazes de reconhecer e recordar um item quando ele estava visivelmente destacado do seu entorno – ou seja, do contexto em que está inserido.

Se uma página é totalmente sóbria e você inclui uma peça vermelha, a cor vermelha irá se destacar graças ao efeito isolamento.

Veja o que cada uma das cores geralmente transmitem em uma mensagem (guardadas as suas proporções):

  • Vermelho é: agressivo, energético, provocativo e chama a atenção. É popular entre as indústrias relacionadas a: comida, tecnologia, automóveis e agricultura.
  • Roxo evoca: elegância, sofisticação, nostalgia, mistério, espiritualidade. É popular entre as indústrias relacionadas a: tecnologia, cuidado com a saúde, finanças.
  • Azul transmite: confiança, credibilidade, segurança, responsabilidade. É popular entre as indústrias relacionadas a: tecnologia, cuidado com a saúde, finanças, energia, agricultura, companhias aéreas.
  • Verde evoca: riqueza, saúde, prestígio, serenidade. É popular entre as indústrias relacionadas a: comida, tecnologia, finanças, energia, habitação.
  • Amarelo evoca: positivismo, luz, motivação, criatividade. É popular entre as indústrias relacionadas a: comida, energia e habitação.
  • Laranja evoca: vitalidade, diversão, exuberância, alegria. É popular entre as indústrias relacionadas a: tecnologia e cuidado com a saúde.
  • Marrom evoca: terreno, natural, simplicidade, duradouro. É popular entre as indústrias relacionadas a: roupa, automóveis e agricultura.
  • Preto evoca: prestígio, valor, atemporalidade, sofisticação. É popular entre as indústrias relacionadas a: tecnologia, automóveis e roupa.
  • Branco evoca: pureza, limpeza, suavidade. É popular entre as indústrias relacionadas a: roupa e cuidado com a saúde.

Apesar disso

Apesar de algumas cores realmente representem alguns traços, como mostramos, a maioria dos estudos acadêmicos sobre cores e marcas provam que é mais importante que a cor escolhida sustente a personalidade que você quer retratar do que tentar alinhar com associações de cores estereotipadas.

Um contexto faz toda a diferença. Ao mesmo tempo que o verde pode significar calma e tranquilidade também pode ser relacionado à natureza ou ao dinheiro.

Em resumo, as cores só entram em jogo quando podem ser usadas em harmonia com a personalidade da marca. Sem esse contexto, não há muito sentido em dar preferência a uma cor em detrimento de outra. Além do mais, é difícil afirmar que o vermelho fará mais sentido para a venda de produtos que o azul, pois não há nada que efetivamente prove isso.

O efeito das cores no cérebro

  • Cinza – afeta uma parte do cérebro que regulamenta a dopamina, um neurotransmissor responsável pela sensação de prazer. O efeito da cor pode representar indecisão ou ausência de energia;
  • Preto – afeta uma parte do cérebro que regula o comportamento sexual, agressividade, medo e memória emocional. Seu efeito sugere mistério, curiosidade, luxo, superioridade, nobreza e luto;
  • Branco – afeta uma parte do cérebro responsável pela lógica e pela comunicação. Sugere pureza, higiene e paz, além de transmitir a ideia de frescor e calma;
  • Verde – Já o verde atinge uma parte do cérebro ligada às decisões e ao pensamento abstrato e criativo. Também é responsável pela respostas afetivas e julgamento social. Como resultado, possui o efeito de transmitir frescor, harmonia e equilíbrio;
  • Vermelho – Tem a função cerebral de transmitir prazeres. A cor pode causar efeito de emoção, virilidade, impulso, atenção, sexualidade e dinamismo;
  • Marrom – Essa cor atinge uma parte do cérebro ligada no gerenciamento de estados e respostas emocionais. Com isso, sugere estabilidade, conservadorismo e melancolia;
  • Roxo – atinge o polo frontal do cérebro, região responsável pelo planejamento de ações, movimento e pensamento abstrato. A cor estimula a fantasia, o mistério, a espiritualidade, o egoísmo e a ganância;
  • Amarelo e laranja – representam uma parte do cérebro que tem a função de gerenciar estados de recompensa e a liberação de dopamina. Com isso, estimula entusiasmo, alegria, energia, alerta e esperança;
  • Rosa – a cor rosa é capaz de controlar a sensação de recompensa pela saciedade da fome, sede e sexo. Consegue assim estimular a inocência, a pureza, a feminilidade, a delicadeza e a afeição
  • Azul – por fim, a cor azul tem a função crucial nas decisões, pensamento abstrato e criativo. Seu efeito é o seguinte: quanto mais escuro, mais poder. Quanto mais claro, mais produtivo, fresco, higiênico e tranquilo.

A psicologia das cores no marketing e os gêneros

Um estudo chamado “As Atribuições das Cores”, desenvolvido por Joe Hallock, mostra que há clara preferência por algumas cores por cada gênero.

Enquanto homens preferem azul (57%), verde (14%) e preto (9%), as cores preferidas das mulheres são azul (35%), roxo (23%) e verde (14%).

Em se tratando das cores menos preferidas, as dos homens são marrom (27%), roxo (22%) e laranja (22%), e as das mulheres, laranja (33%), marrom (27%) e cinza (17%).

Talvez, por isso, você não veja muitas lojas de material de construção com a cor roxa, ou lojas de roupa nas cores em tons de cinza e marrom.

Esses dados revelados pelo estudo sobre percepções e preferências de cores mostram que homens parecem preferir cores fortes, enquanto mulheres preferem cores mais suaves.

Por isso, mantenha essas informações em mente na hora de definir a paleta de cores inicial da sua marca, se a segregação por gênero for permitida pelo nicho de mercado e tipo de produto/serviço que você vende/oferece.

Entretanto, também é importante lembrar que o ambiente e as percepções culturais de cada um têm forte influência na determinação das cores mais apropriadas para cada gênero e, consequentemente, nas escolhas individuais. Em um ambiente praiano, o laranja e amarelo farão mais sentido que cores sóbrias. Do mesmo modo, uma peça criada para ser exposta em uma rede social como o Facebook (onde as cores predominantes são azul, branco e preto), uma peça de cor mais chamativa (como vermelho ou laranja) teoricamente tem mais chance de ter um destaque. Tudo vai depender do ambiente em que você está.

53_psicologia_cores2

Para concluir

Vimos aqui que:

1) Compreender o poder das cores e seus significados é muito importante, porque as cores não servem somente para chamar a atenção, mas principalmente para comunicar uma mensagem;

2) É necessário aproveitar cada momento do design para se comunicar com as pessoas que interagem com o seu site, e-mail, apresentação ou rede social – a intenção é que o público realize a ação que você precisa;

3) Cores podem, sim, provocar determinados efeitos em nós. Entretanto, eles nem sempre são universais e são afetados por experiências pessoais de cada um;

4) As cores só entram em jogo quando podem ser usadas em harmonia com a personalidade da marca;

5) E por fim, pesquisas indicam que homens e mulheres têm preferências por cores específicas;

E ai, o que achou do artigo? Faz sentido isso tudo que falamos sobre a psicologia das cores? Utilize os comentários para relatar suas experiências, dúvidas e sugestões para os próximos artigos! Até a próxima!

Como fazer marketing digital com mais alcance e mais resultados

Se o orçamento de marketing da sua empresa não tem uma verba destinada para ser aplicada nos meios digitais, então é hora de começar a pensar nisso. Isso porque o marketing digital revolucionou a maneira como as empresas se comunicam e interagem com seus consumidores – clientes e potenciais clientes. Mas como fazer marketing digital? Descubra neste artigo qual o caminho a ser percorrido para promover produtos, serviços e marca por meio de mídias eletrônicas.

Atualmente, apostar no marketing digital é uma necessidade, pois certamente a maioria do seu público utiliza a Internet todos os dias. Além disso, a adoção dessa estratégia pode ser a garantia de sucesso para sua empresa.

Vamos lá?

26_orcamento_mkt2

Como fazer marketing digital x Como se fazia marketing tradicional

Hoje em dia é bem mais fácil para o pequeno e médio empresário investir e marketing e publicidade, por uma facilidade maior de acesso a recursos que antes eram exclusivos de quem tinha mais dinheiro para pagar. O marketing digital é atualmente a maneira mais econômica de promover produtos ou marcas, pois sua execução não demanda muitos recursos.

A dúvida entre usufruir do marketing digital ou do marketing tradicional é uma discussão que gera muitas dúvidas. Fato é que se há a possibilidade dos dois canais funcionarem juntos, o marketing será muito mais forte e bem sucedido.

Mas como dinheiro não está nascendo em árvore, em especial em épocas de recessão econômica como a que estamos vivendo, vamos focar aqui na possibilidade de aproveitamento maior que o marketing digital oferece.

Isso se mostra ainda uma tendência: algumas pesquisas indicam que, nos próximos anos, cerca de 75% do orçamento de marketing das empresas será voltado para o meio digital.

As opções de personalização que aparecem com o marketing digital são extensas, possibilitando até um controle maior sobre suas ações de divulgação. As análises feitas conforme o andamento das estratégias online permitem que o impacto de suas campanhas sejam acompanhados. Esse sistema é muito mais prático e eficaz do que outros meios off-line, além de mais barato. Isso pode ser feito através do acompanhamento do que o seu público quer e quem ele é – por exemplo, quem chega até seu site, de onde ele vem? Qual sua idade? Quais as palavras-chave usou ou procurou?

Há uma infinidade de resultados que podem ser obtidos através de uma campanha direcionada na internet, enquanto campanhas feitas por meios tradicionais são mais difíceis de serem mensuradas. Hoje estima-se que mais de 90% dos processos de compra tem início em uma busca online. Por isso, o marketing digital e o marketing de conteúdo vieram para ficar.

As vantagens de investir em marketing digital

Todo esse crescimento que vimos falando é reflexo das vantagens e benefícios que a comunicação digital nos traz. Além do baixo investimento (em comparação, principalmente, aos meios tradicionais de divulgação como rádio, TV e impressos).

O marketing digital permite que os consumidores se comuniquem facilmente com as empresas, facilitando a interação e a obtenção de respostas rápidas e mais assertivas. Quando um consumidor se comunica com uma marca, as duas partes estão criando uma relação de confiança: a resolução de problemas se torna muito mais eficaz, o que deixa os consumidores muito mais confiantes para comprar produtos ou adquirir serviços mais de uma vez – clientes fiéis!

Além disso, certamente as empresas que utilizam marketing digital estão um passo a frente dos seus concorrentes que ainda insistem apenas marketing tradicional – as vezes, ficando restrito à apenas uma fatia do público-alvo.

O marketing digital proporciona um alcance muito mais global (ou segmentado se for o caso), interatividade (gerando mais informações), e alcance de métricas provenientes dos usuários (ingredientes para a criação de novas campanhas).

Desta maneira, empresas conseguem reduzir a taxa de erros e campanhas que não funcionam, e acabam economizando tempo e dinheiro.

E para finalizar, temos a vantagem de tudo na internet ser feito e girar em torno de uma velocidade muito grande. Como na Internet tudo pode ser mensurado em tempo real, os profissionais de marketing podem se adaptar rapidamente de acordo com a performance de uma campanha, evitando assim desperdiçar dinheiro em algo que não está funcionando.

Como fazer marketing digital eficiente – os canais disponíveis

Para uma estratégia de marketing digital gerar uma vantagem competitiva, é necessário compreender também todas as ferramentas disponíveis, com o objetivo de definir o que gera mais resultados com seu público.

1) Via site ou blog – Sites e blogs são os canais mais importantes do marketing digital, pois é através destas páginas que a sua credibilidade e autoridade pode estar sustentada na internet. É a “casa” onde o público vai encontrar tudo que precisa saber – principalmente, onde os visitantes podem ser transformados em clientes. Além do baixíssimo investimento, o conteúdo que será publicado é ditado por você.

Existem ferramentas que estão diretamente relacionadas ao sucesso e divulgação de um site ou blog: o SEM, SEO e PPC. Descubra a diferença e a utilidade de cada uma delas.

2) Via banners e ads – A chamada “mídia display” é o formato mais tradicional de se fazer marketing digital, desde o inicio da popularização da internet. Lembra dos pop-ups? Banners e ads são aqueles anúncios gráficos que vemos em vários sites por aí, principalmente nos grandes portais de comunicação e notícias.

Quando o marketing digital surgiu, os publicitários investiram nesse formato que mais parecia um outdoor dentro dos sites. Até pouco tempo, os anunciantes compravam um espaço publicitário diretamente na mídia eletrônica escolhida, mas com o tempo surgiu as Ad Networks, que são redes centralizadas que distribuem os anúncios em vários sites distintos.

3) Via e-mail marketing – O e-mail marketing continua firme e forte como um poderoso canal de marketing digital. É através dele que empresas e marcas tem contato com seu público, em uma comunicação mais direcionada e com base na autorização (considerando que a lista de e-mails foi construída e não comprada).

Assim como a mídia display o uso de e-mail como estratégia de marketing evoluiu muito com o tempo. Hoje não adianta simplesmente conseguir uma lista gigante de e-mails a qualquer custo e disparar e-mails publicitários torcendo para conseguir uma venda mesmo com uma baixa taxa de conversão. Iniciativas assim já não funcionam mais como antes, provavelmente seu e-mail cairá em uma caixa de spam. Descubra aqui as técnicas para deixar o e-mail ainda mais potente.

4) Via redes sociais – As redes sociais, como o Facebook, Twitter, Snapchat e Instagram estão aí para a promoção de conteúdo e a comunicação de empresas com sua audiência. No entanto, ao contrário aos blogs, nas redes sociais você não tem 100% do controle – já que a liberdade do público em comentar e avaliar é muito maior (assim como a de transformar uma campanha positiva em negativa).

Por isso, é importante saber lidar com todas elas e aprender a interagir melhor com o público.

5) Via ferramentas de vídeo e streaming – Cada vez mais, usuários da Internet estão consumindo conteúdos em vídeo ao invés conteúdos escritos – muitos deles, com transmissões ao vivo, como na TV. A previsão é de que no ano que vem, quase 70% de todo o tráfego na Internet ocorra em plataformas de vídeo como o YouTube e Vimeo. Muita coisa, não? Por isso, criar materiais em vídeo pode ser uma boa estratégia pois este formato permite a divulgação de conteúdos dinâmicos, interativos e que comunicam uma mensagem de forma rápida. Além disso, vídeos são parte importante de uma estratégia de marketing em dispositivos móveis, pois se adaptam com facilidade ao formato mobile.

Quer bons exemplos? Veja os artigos sobre Youtube Marketing e Periscope Marketing.

6) Outras formas – A todo momento, novos formatos e canais de marketing digital surgem todos os dias na Internet. O Whatsapp é uma dessas novidades que também já ganhou seu espaço no coração dos marqueteiros e publicitários.

No entanto, é preciso tomar cuidado para não cair na “síndrome do objeto brilhante”, que acontece com muitos profissionais de marketing que desejam utilizar uma ferramenta assim que ela é lançada, somente pelo fato de ser novidade. Isto pode levar a perda de tempo e dinheiro se esta estratégia não estiver alinhada com seu público.

50_como-fazer-marketing-digital1

Em resumo

Você viu neste artigo que:

1) O marketing digital é atualmente a maneira mais econômica de promover produtos ou marcas, pois sua execução não demanda muitos recursos;

2) Se há a possibilidade de juntar o marketing digital e o marketing tradicional, o marketing da sua empresa ou marca será muito mais forte e bem sucedido;

3) O marketing digital proporciona um alcance muito mais global, interativo, e com o alcance de métricas eficazes;

4) Por fim, existem diversos canais disponíveis para fazer marketing digital. É necessário, portanto, saber qual se adequa mais à estratégia que você pretende colocar em prática. Pode ser através da criação de sites ou blogs, via banners, e-mail marketing, redes sociais, entre outras formas.

E ai, o que achou do artigo? Tem algum outro aspecto do marketing digital que você acha que também vale a pena destacar? De repente, a sua sugestão pode render um outro artigo de qualidade para o EmpreendedorX. Participe através dos comentários!