Últimos artigos

Como aproveitar melhor o orçamento de marketing para entrar de vez no digital

Das micro e pequenas empresas até os grandes negócios, todos que de alguma forma têm relação com um consumidor final possuem algum potencial de marketing para aproveitar. Se isso ainda não está nos planos, deveria estar.

Quando se inicia um negócio, empresários e empreendedores em geral têm o mau hábito de dizer que não há dinheiro em caixa para investir em marketing. Muitas vezes isso é dito sem ao menos ter considerado a possibilidade de inclui-lo no ato de planejamento do negócio.

No entanto, é unânime dizer que, ao separar uma parcela do faturamento para investir em campanhas de marketing, as chances para se conseguir novos clientes e negócios aumentam consideravelmente. Além dos novos, também serve parar reter o público que você já conquistou, e fazer com que mais pessoas conheçam ou ouçam falar sobre o que você faz.

A sugestão é que o investimento envolva pelo menos 10% do valor total da receita da empresa. Mas isso pode variar, e a intenção desse artigo não é determinar “quanto” e sim “como” essa verba pode ser melhor aplicada, em especial para tornar o negócio mais digital.

Quando o orçamento é mais limitado, é necessário considerar algumas ações e campanhas específicas, principalmente quem atua ou deseja atuar na web. O importante é que cada centavo precisa ser direcionado para o caminho certo.

Gastar dinheiro com marketing digital pode ser mais eficiente que os métodos de divulgação tradicionais, como comerciais de TV, espaços em jornais e revistas ou exposição de outdoors pelas ruas. Isso porque os anúncios online podem ser vistos por milhões de pessoas todos os dias e horários, enquanto comerciais pagos na TV ou no rádio geralmente duram trinta segundos e tem um número limitado de exibições diárias, por exemplo.

O orçamento associado a um bom planejamento pode fazer o seu negócio se destacar diante da concorrência. Se a grana está curta e não há muito para investir, aposte na criatividade.

Escolher o que é prioridade ou por onde começar é um desafio para todos os empresários, mas tudo pode ficar bem mais simples com as orientações que preparamos.

Não devemos, porém, deixar de recomendar o auxílio de um profissional especializado em marketing para estudar e colocar em prática algumas das ações pensadas e propostas aqui. Seja pela complexidade de execução, ou até pela experiência de um profissional em lidar com todos os percalços que o caminho pode exigir.

Aqui vamos aprender, de fato, como aproveitar melhor o orçamento de marketing para entrar de vez no digital. Vamos lá?

orçamento de marketing

Tenha um bom plano na manga

O primeiro passo do planejamento é elaborar uma análise do fluxo de vendas de produtos e serviços de sua empresa.

Coloque tudo que você oferece, quais são os concorrentes diretos, os principais desafios do nicho de mercado, e quais os objetivos de marketing: o que você quer atingir?

Depois, é hora de saber quais os canais de marketing que você vai considerar dentro do seu plano e orçamento.

Uma coisa é se pensar é que o orçamento pode ser pensado de uma forma mensal ou anual, a depender da estimativa. Isso porque em alguns negócios, é necessário dedicar um investimento maior em determinadas épocas do ano – meses ou estações. Por exemplo: se você tem uma marca de roupas, é certo que em datas comemorativas terá que abrir mais o bolso para conquistar grandes objetivos. Da mesma forma, ainda nesse exemplo, as coleções verão e inverno exigem mais do comportamento humano do que as de outono e primavera.

Por isso, uma sugestão é fazer uma estimativa de gasto por mês, pensando no tipo de situação e estratégia que será executada.

Saiba quem é seu público alvo

Para uma campanha de marketing ter mais sucesso, o ideal é que ela seja pensada especificamente para um público, de forma personalizada.

Você sabe “quem” compra seu produto ou adquire os serviços oferecidos pela sua empresa? Se a resposta for algo específico (jovens em idade escolar, adultos em busca de recolocação no mercado, idosos aposentados, etc), fica mais fácil pensar e executar a estratégia de marketing. Agora, quando o público é mais amplo, as possibilidades de divulgação aumentam, mas por outro lado, não dá para controlar bem “quem” será atingido.

A segmentação de mercado funciona melhor na internet do que em qualquer outro meio off-line, como as mídias tradicionais que falamos agora há pouco. Se você anuncia no rádio, televisão, outdoor, jornais ou revistas, a possibilidade de “qualquer um” ver, ouvir ou ler aquilo é maior, mas nem sempre é interesse que a mensagem seja “desperdiçada” para qualquer um.

Na internet é mais fácil direcionar uma comunicação para um público específico, e com isso, gastar menos e obter mais resultados, como vamos explorar mais adiante.

Marketing digital versus marketing tradicional

Hoje em dia é bem mais fácil para o pequeno e médio empresário investir e marketing e publicidade, por uma facilidade maior de acesso a recursos que antes eram exclusivos de quem tinha mais dinheiro para pagar.

A dúvida entre usufruir do marketing digital ou do marketing tradicional é uma discussão que gera muitas dúvidas. Fato é que se há a possibilidade dos dois canais funcionarem juntos, o marketing será muito mais forte e bem sucedido.

Mas como dinheiro não está nascendo em árvore, em especial em épocas de recessão econômica como a que estamos vivendo, vamos focar aqui na possibilidade de aproveitamento maior que o marketing digital oferece.

Isso se mostra ainda uma tendência: algumas pesquisas indicam que, nos próximos anos, cerca de 75% do orçamento de marketing das empresas será voltado para o meio digital.

As opções de personalização que aparecem com o marketing digital são extensas, possibilitando até um controle maior sobre suas ações de divulgação. As análises feitas conforme o andamento das estratégias online permitem que o impacto de suas campanhas sejam acompanhados. Esse sistema é muito mais prático e eficaz do que outros meios off-line, além de mais barato. Isso pode ser feito através do acompanhamento do que o seu público quer e quem ele é – por exemplo, quem chega até seu site, de onde ele vem? Qual sua idade? Quais as palavras-chave usou ou procurou?

Há uma infinidade de resultados que podem ser obtidos através de uma campanha direcionada na internet, enquanto campanhas feitas por meios tradicionais são mais difíceis de serem mensuaradas.

Onde você pensa que vai?

Não é porque os valores são menores no marketing digital que não é preciso traçar metas.

Elas podem variar desde uma venda direta de produto ou contratação de um serviço, passando pela fidelização ou mesmo só chamar a atenção do público-alvo para a criação ou existência da marca/empresa.

Tenha ciência se serão feitos apenas anúncios ou se a empresa tem interesse em oferecer conteúdo aos seus clientes. Para oferecer conteúdo, ele precisa ser bem pensado e produzido. As redes sociais são bons caminhos, que permitem um canal direto para falar com o consumidor e publicar anúncios e conteúdos bem segmentados.

Além da venda e do conteúdo, é preciso pensar e se dedicar em uma estratégia de relacionamento, que o marketing está aí para somar.

O marketing digital vai muito além de ter um site ou uma página oficial da empresa no Facebook. Quem não está presente na internet, precisa estar. Quem já está, precisa trabalhar ainda mais para se tornar referência no que faz, independentemente da área de atuação.

As redes sociais são a maneira mais fácil e rápida de uma empresa se comunicar com potenciais clientes que venham a demonstrar interesse em seus produtos ou serviços. Para o trabalho fazer sentido, pense na interação correta com seguidores e leitores, que pode ser crucial para conseguir e manter a fidelização de usuários.

Conhecendo bem as ferramentas disponíveis, é preciso estar atento ainda na possibilidade constante de se fazer ajustes. Isso é perfeitamente natural no mundo da internet, e feito de uma maneira mais fácil que no marketing tradicional.

De olho na identidade visual

Se a sua empresa ou marca não possui uma identidade visual (isso é, logomarca, cores relacionadas e até um slogan), esse é o primeiro investimento certo a se fazer.

Não pense que é desperdício de dinheiro contratar um profissional para estudar e propor algumas opções. Existem muitas agências e designers autônomos que trabalham com isso há anos, e são especialistas em oferecer soluções que estejam de acordo com o ramo de negócio e com a “alma” da marca, mesmo que ela ainda esteja em construção. Isso vai desde uma pesquisa sobre as atividades, a concorrência, e como a comunicação visual pode conversar melhor com seu público.

A marca diz tudo o que você quer transmitir, incluindo sensações e sentimentos. Muita gente acaba “matando” o negócio por achar que este processo é dispensável, ou pode ser feito pelo profissional que cobrar mais barato. Não funciona assim.

A identidade visual serve para que o cliente saiba quem você é, e é capaz de transmitir a personalidade que você deu ou quer dar ao negócio. É isso que o consumidor irá lembrar antes de adquirir um produto ou serviço.

Tenha um negócio #diferentão

O mercado exige cada vez mais que empresas apostem nos diferenciais para se sobressaírem, ainda que estejam no mesmo setor. Por meio do marketing isso pode ficar cada vez mais evidente para os seus clientes e novos consumidores.

O fundamento da segmentação de mercado baseia-se na ideia de que um produto não é capaz de satisfazer necessidades e desejos de todos. Como eles costumam ser muitos, acabam por possuir hábitos de compra e gostos diferentes, além de distintas necessidades, desejos e preferências. Desse modo, não se pode tratar todos da mesma forma, assim como também não se pode tratar todos de forma diferente. O caminho está na reunião de grupos de pessoas com características, preferências e gostos semelhantes, associado ao tratamento de todos eles como se fossem iguais. Cada segmento deve ser constituído por grupos de consumidores que apresentem o mínimo de diferenças entre si e o máximo de diferenças em relação aos demais segmentos.

Por isso, concentre os esforços de marketing em determinados alvos que a empresa considera adequados para serem explorados comercialmente. Isso pode ser feito por partes: primeiro se foca em um, depois em outro, e assim por diante.

O negócio ou produto diferenciado, que pode te manter à frente da concorrência, pode ter uma única característica que o faça ser especial. Pode ser no atendimento personalizado, no preço, nas condições de pagamento, ou mesmo na concepção do produto ou serviço em si, que agrega algo que ainda não foi visto por aí.

A “busca por fazer diferente” requer originalidade, rompendo com paradigmas e ousando, o que às vezes pode trazer um ônus, já que é mais fácil e confortável fazer tudo como sempre foi feito.

A partir da segmentação é possível ampliar o processo de tornar um produto ou serviço inovador, enquanto fator condicional para criar, manter e prosperar em mercados cada dia mais exigentes.

A criatividade é a chave

Do ponto de vista organizacional, “criatividade” é a capacidade de construir alternativas mercadológicas para gerir melhor um negócio e/ou resolver problemas de gestão anteriormente construídos.

O “ser criativo” está fortemente vinculado à capacidade de compreender o mercado e propor soluções que mantenham e valorizem uma marca, que a façam capitalizar e obter lucro. Capacidade essa capaz de determinar o reconhecimento e o desejo por um novo produto lançado, o impacto e visibilidade de uma campanha, o crescimento das vendas e da base de clientes, e por aí vai. Um leque infinito de opções.

As referências e os casos de sucesso são importantes para se inspirar, mas eles não podem ser amarras para o pensamento novo, arejado, pois é esse que traz inovação e diferenciação para as marcas. E isso deve ocorrer em todos os esforços mercadológicos da empresa para definir um novo modelo de negócio ou mesmo um novo canal de vendas.

O processo de criação precisa de uma mente aberta, com forte uso da imaginação e sensibilidade. Ela não precisa estar necessariamente na concepção de um novo produto ou serviço, mas pode estar presente em um processo de melhoria e aperfeiçoamento.

É importante destacar ainda que as novas tendências de mercado, preocupadas com a responsabilidade social e ambiental, enfatizam o papel estratégico da criatividade enquanto capacidade de alinhar os interesses econômicos das empresas com o desenvolvimento socioambiental. Pense nisso.

Investindo no marketing de conteúdo

O universo do marketing de conteúdo é muito amplo, e passa por estratégias que ajudam a manter uma relação empresa-cliente desde o momento de apresentação até o pós venda.

O processo serve para manter o consumidor informado sobre características do produto/serviço, promover ações da empresa, lançamentos, promoções, receber feedbacks e uma infinidade de opções. É uma maneira de engajar seu público-alvo e fazer crescer sua rede de clientes e potenciais clientes. Mas tudo isso deve ser feito de uma forma que seja relevante para o consumidor, afinal, ele não irá embarcar em qualquer onda. É preciso que aquilo que se divulga seja interessante e realmente útil para o público alvo.

As divulgações não precisam ser necessariamente feitas nos meios comuns na web esfera, através de textos publicados no Facebook ou Twitter. Elas podem ser feitas através de vídeos dinâmicos e criativos no Youtube ou Snapchat, meios onde os jovens estão mais concentrados na internet. Sem bem feito, isso pode favorecer o posicionamento de sua marca até nos mecanismos de busca.

Campanhas de e-mail marketing

Trabalhar com o e-mail marketing é uma das ações-chave em qualquer estratégia de marketing de baixo custo. Ao fornecer o e-mail pessoal para a empresa em um ato de cadastro, por exemplo, o usuário fica mais próximo de virar um cliente ou de adquirir um novo produto ou serviço.

Aproveite essa confiança para oferecer um conteúdo relevante e se fazer presente na vida do usuário. Se isso vier acompanhado de algo vantajoso (como um cupom de desconto), as chances de ter o e-mail aberto, lido e engajado são ainda maiores.

Só é preciso tomar cuidado para que ele não caia no Spam, e para isso, preparamos um artigo específico que mostra o que fazer para ter um e-mail marketing bem sucedido – desde o processo de criação até o envio – quando e como fazer. São estratégias que não custam muito caro e, se bem usadas, trazem um bom retorno.

Novas formas de se relacionar com os clientes

Já ouviu falar naqueles programas de fidelização de clientes com base nas indicações? Algo como “indique um amigo e obtenha 10 por cento de desconto”.

Essa é uma forma de aproveitar o relacionamento entre pessoas para criar verdadeiros “defensores da marca”. Isso prevê formas de estimular clientes atuais satisfeitos a indicarem sua empresa, normalmente em troca de algum tipo de benefício.

Hoje isso é feito principalmente através de celebridades e influenciadores digitais, tema de um outro artigo que fizemos. Vale a pena dar uma olhada.

Anunciar nos buscadores e SEO

Outra possibilidade de investir o orçamento destinado ao marketing para ganhar visibilidade na internet é de anunciar nos buscadores, como o Google Adwords. Funciona assim: o cliente escolhe quais serão as palavras-chave e os anúncios aparecem conforme o valor é atribuído.

A vantagem é que mesmo com orçamento baixo é possível chegar até o público-alvo.

As estratégias que envolvem recursos digitais são interessantes pela possibilidade de visualizar e avaliar os resultados, mesmo antes de uma campanha terminar. Dá para avaliar, portanto, os aspectos mais relevantes e o que pode ser melhorado de forma mais eficiente, de acordo com os dados de acesso. Dessa maneira, você pode testar todas as opções disponíveis, e quando a ação de marketing realizada se transformar em leads, oportunidades ou vendas, você saberá exatamente qual caminho deve seguir.

Outro método de publicidade, como links patrocinados, permite alcançar grandes audiências com pouca despesa. Usando SEO, é possível melhorar a posição do seu site ou blog nos resultados de busca do Google, o que traz mais visibilidade. E outra: atrair novos visitantes é criar condições de fazer conversões, isto é, conseguir que se transformem em clientes.

Invista também em campanhas que envolvam dispositivos móveis. Afinal, grande parte dos usuários de internet está se conectando através de smartphones e essa mídia não pode ser ignorada: você pode utilizar aplicativos ou criar novos, mantendo seu site ou blog compatível para as telas de celulares.

26_orcamento_mkt1

Separando o orçamento para o próximo ano

Durante o passar dos meses do ano, preste atenção para cada canal de marketing utilizado e mensure os resultados.

Se você criou uma campanha que custou R$ 10.000,00 mas apenas teve de retorno R$ 3.000,00 em novos negócios, você certamente deverá reduzir seu orçamento para o próximo ano.

Mas se por outro lado o investimento lhe trouxe mais exposição de marca e conhecimento de seus produtos do que vendas efetivamente no primeiro ano, você deverá de alguma forma avaliar se valerá a pena insistir nas mesmas estratégias no próximo ano. A ferramenta que lhe traz maior retorno sobre o investimento feito deve ser replicada e aumentada de maneira proporcional.

Não tenha medo de mudar tanto o seu plano de marketing quanto o seu orçamento a cada ano, ou até mesmo em períodos mais curtos como dissemos no começo.

Não se esqueça porém da importância do planejamento estratégico, pois essa é uma parte fundamental no processo de traçar estratégias assertivas para o seu negócio. Através dele é possível realizar uma análise detalhada do mercado, o diagnóstico da marca, estudo da concorrência, definição do público-alvo, entre outras etapas. Esse trabalho é realizado por meio da criação da estratégia de comunicação para a geração de tráfego, leads e vendas, que consiste em estabelecer e conceituar a experiência que será vivida pelos seus clientes em cada canal digital escolhido.

E ai?

Visualizou novas formas de destinar os recursos de marketing para seu negócio? De fato, os meios digitais têm se mostrado a melhor alternativa para ter resultados sem gastar uma fortuna. Se você concorda ou discorda em algum dos pontos que relatamos, esteja à vontade para compartilhar suas experiências através dos comentários!

Através da sua participação, você pode ajudar outros empreendedores a descobrirem como aproveitar melhor o orçamento de marketing para entrar de vez no digital. Além disso, nós do EmpreendedorX, conseguimos elaborar conteúdos cada vez mais relevantes e úteis com a sua opinião e sugestão de temas. Participe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>