Últimos artigos

Psicologia das cores para aumentar conversões, vendas e cliques

As cores que você utiliza em seu site, nas peças criadas para redes sociais, no e-mail marketing e até em uma apresentação de slide show dizem muito sobre o que você quer transmitir.

Todos sabem da importância de escolher bem as cores na hora de criar uma logomarca, logotipo, ou mesmo definir o manual de identidade do seu negócio. O que muita gente nem se toca é que não é apenas uma questão estética: as cores podem ajudá-lo a conquistar novos clientes, aumentar conversões, impulsionar vendas e elevar o número de cliques em uma estratégia de marketing digital.

Como? É isso que este artigo vai te mostrar. A psicologia das cores tem muito a ensiná-lo, por ser um dos fatores com maior influência a nível “subconsciente” no processo de aceitação e decisão de compra. Mais vendas, mais inscrições, mais downloads.

É necessário entender que o design de um site, e-mail, peça ou apresentação em Power Point não deve ser pensado apenas para agradar visualmente, mas também deve ser otimizado para guiar o usuário ao longo de uma sequência de pensamentos, para que realize a ação que nós esperamos dele.

Nesse sentido, a cor é um componente fundamental que exerce influência em todo este processo e por isso é tão importante.

Aprenda aqui a utilizar a psicologia das cores para alcançar seus objetivos! As modificações que você poderá fazer são muito simples e podem significar mudanças bem significativas.

53_psicologia_cores1

A psicologia das cores em profundidade

Já existiram várias tentativas de classificar as reações do consumidor a diferentes cores individuais. Entretanto, a verdade é que a cor depende muito de experiências pessoais para ser universalmente traduzida em sentimentos específicos. São fatores de cunho pessoal como experiências passadas, preferências e diferenças culturais.

Estudo sobre impacto das cores no marketing apontam que 90% dos julgamentos iniciais de produtos podem ser baseados apenas na cor. Outras pesquisas falam sobre o sentido de maior influência na decisão de compra: o cérebro precisa de 90 segundos para realizar uma análise subconsciente do produto e ter uma opinião a respeito de algo.

Muita coisa, né?

Em outras palavras, isso quer dizer que as cores influenciam como os consumidores veem a personalidade da marca, e o que ela quer passar e imprimir. Levando em consideração que nosso cérebro prefere marcas reconhecíveis, fica ainda mais fácil perceber a importância das cores na criação da identidade da marca.

As cores mais usadas pela indústria e o que elas transmitem

Você provavelmente já ouviu falar que verde converte mais do que vermelho ou que as cores usadas no seu site ou e-mail marketing podem influenciar uma ação. Muitos e-mails marketing inclusive, abusam dessas duas cores no texto ou layout, o que pode ser um fator determinante para ele parar direto na caixa de SPAM.

Fato é que não há uma única cor ou um par de cores que sejam os melhores para conversões. Segundo pesquisas, o princípio psicológico conhecido como “efeito isolamento” mostra que um item que se destaca tem mais chances de ser lembrado. Daí que as pessoas são capazes de reconhecer e recordar um item quando ele estava visivelmente destacado do seu entorno – ou seja, do contexto em que está inserido.

Se uma página é totalmente sóbria e você inclui uma peça vermelha, a cor vermelha irá se destacar graças ao efeito isolamento.

Veja o que cada uma das cores geralmente transmitem em uma mensagem (guardadas as suas proporções):

  • Vermelho é: agressivo, energético, provocativo e chama a atenção. É popular entre as indústrias relacionadas a: comida, tecnologia, automóveis e agricultura.
  • Roxo evoca: elegância, sofisticação, nostalgia, mistério, espiritualidade. É popular entre as indústrias relacionadas a: tecnologia, cuidado com a saúde, finanças.
  • Azul transmite: confiança, credibilidade, segurança, responsabilidade. É popular entre as indústrias relacionadas a: tecnologia, cuidado com a saúde, finanças, energia, agricultura, companhias aéreas.
  • Verde evoca: riqueza, saúde, prestígio, serenidade. É popular entre as indústrias relacionadas a: comida, tecnologia, finanças, energia, habitação.
  • Amarelo evoca: positivismo, luz, motivação, criatividade. É popular entre as indústrias relacionadas a: comida, energia e habitação.
  • Laranja evoca: vitalidade, diversão, exuberância, alegria. É popular entre as indústrias relacionadas a: tecnologia e cuidado com a saúde.
  • Marrom evoca: terreno, natural, simplicidade, duradouro. É popular entre as indústrias relacionadas a: roupa, automóveis e agricultura.
  • Preto evoca: prestígio, valor, atemporalidade, sofisticação. É popular entre as indústrias relacionadas a: tecnologia, automóveis e roupa.
  • Branco evoca: pureza, limpeza, suavidade. É popular entre as indústrias relacionadas a: roupa e cuidado com a saúde.

Apesar disso

Apesar de algumas cores realmente representem alguns traços, como mostramos, a maioria dos estudos acadêmicos sobre cores e marcas provam que é mais importante que a cor escolhida sustente a personalidade que você quer retratar do que tentar alinhar com associações de cores estereotipadas.

Um contexto faz toda a diferença. Ao mesmo tempo que o verde pode significar calma e tranquilidade também pode ser relacionado à natureza ou ao dinheiro.

Em resumo, as cores só entram em jogo quando podem ser usadas em harmonia com a personalidade da marca. Sem esse contexto, não há muito sentido em dar preferência a uma cor em detrimento de outra. Além do mais, é difícil afirmar que o vermelho fará mais sentido para a venda de produtos que o azul, pois não há nada que efetivamente prove isso.

O efeito das cores no cérebro

  • Cinza – afeta uma parte do cérebro que regulamenta a dopamina, um neurotransmissor responsável pela sensação de prazer. O efeito da cor pode representar indecisão ou ausência de energia;
  • Preto – afeta uma parte do cérebro que regula o comportamento sexual, agressividade, medo e memória emocional. Seu efeito sugere mistério, curiosidade, luxo, superioridade, nobreza e luto;
  • Branco – afeta uma parte do cérebro responsável pela lógica e pela comunicação. Sugere pureza, higiene e paz, além de transmitir a ideia de frescor e calma;
  • Verde – Já o verde atinge uma parte do cérebro ligada às decisões e ao pensamento abstrato e criativo. Também é responsável pela respostas afetivas e julgamento social. Como resultado, possui o efeito de transmitir frescor, harmonia e equilíbrio;
  • Vermelho – Tem a função cerebral de transmitir prazeres. A cor pode causar efeito de emoção, virilidade, impulso, atenção, sexualidade e dinamismo;
  • Marrom – Essa cor atinge uma parte do cérebro ligada no gerenciamento de estados e respostas emocionais. Com isso, sugere estabilidade, conservadorismo e melancolia;
  • Roxo – atinge o polo frontal do cérebro, região responsável pelo planejamento de ações, movimento e pensamento abstrato. A cor estimula a fantasia, o mistério, a espiritualidade, o egoísmo e a ganância;
  • Amarelo e laranja – representam uma parte do cérebro que tem a função de gerenciar estados de recompensa e a liberação de dopamina. Com isso, estimula entusiasmo, alegria, energia, alerta e esperança;
  • Rosa – a cor rosa é capaz de controlar a sensação de recompensa pela saciedade da fome, sede e sexo. Consegue assim estimular a inocência, a pureza, a feminilidade, a delicadeza e a afeição
  • Azul – por fim, a cor azul tem a função crucial nas decisões, pensamento abstrato e criativo. Seu efeito é o seguinte: quanto mais escuro, mais poder. Quanto mais claro, mais produtivo, fresco, higiênico e tranquilo.

A psicologia das cores no marketing e os gêneros

Um estudo chamado “As Atribuições das Cores”, desenvolvido por Joe Hallock, mostra que há clara preferência por algumas cores por cada gênero.

Enquanto homens preferem azul (57%), verde (14%) e preto (9%), as cores preferidas das mulheres são azul (35%), roxo (23%) e verde (14%).

Em se tratando das cores menos preferidas, as dos homens são marrom (27%), roxo (22%) e laranja (22%), e as das mulheres, laranja (33%), marrom (27%) e cinza (17%).

Talvez, por isso, você não veja muitas lojas de material de construção com a cor roxa, ou lojas de roupa nas cores em tons de cinza e marrom.

Esses dados revelados pelo estudo sobre percepções e preferências de cores mostram que homens parecem preferir cores fortes, enquanto mulheres preferem cores mais suaves.

Por isso, mantenha essas informações em mente na hora de definir a paleta de cores inicial da sua marca, se a segregação por gênero for permitida pelo nicho de mercado e tipo de produto/serviço que você vende/oferece.

Entretanto, também é importante lembrar que o ambiente e as percepções culturais de cada um têm forte influência na determinação das cores mais apropriadas para cada gênero e, consequentemente, nas escolhas individuais. Em um ambiente praiano, o laranja e amarelo farão mais sentido que cores sóbrias. Do mesmo modo, uma peça criada para ser exposta em uma rede social como o Facebook (onde as cores predominantes são azul, branco e preto), uma peça de cor mais chamativa (como vermelho ou laranja) teoricamente tem mais chance de ter um destaque. Tudo vai depender do ambiente em que você está.

53_psicologia_cores2

Para concluir

Vimos aqui que:

1) Compreender o poder das cores e seus significados é muito importante, porque as cores não servem somente para chamar a atenção, mas principalmente para comunicar uma mensagem;

2) É necessário aproveitar cada momento do design para se comunicar com as pessoas que interagem com o seu site, e-mail, apresentação ou rede social – a intenção é que o público realize a ação que você precisa;

3) Cores podem, sim, provocar determinados efeitos em nós. Entretanto, eles nem sempre são universais e são afetados por experiências pessoais de cada um;

4) As cores só entram em jogo quando podem ser usadas em harmonia com a personalidade da marca;

5) E por fim, pesquisas indicam que homens e mulheres têm preferências por cores específicas;

E ai, o que achou do artigo? Faz sentido isso tudo que falamos sobre a psicologia das cores? Utilize os comentários para relatar suas experiências, dúvidas e sugestões para os próximos artigos! Até a próxima!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>