Últimos artigos

Novas formas de promover e gerenciar seu negócio no Linkedin

Além de ser a rede social profissional mais popular no Brasil e no mundo, o LinkedIn também é uma ótima ferramenta para empresas expandirem sua relevância e estabelecerem sua autoridade no mercado digital.

Já falamos aqui recentemente sobre a funcionalidade da ferramenta para os profissionais, através de regras de etiqueta para redes profissionais como o LinkedIn.

Agora, vamos mostrar o outro lado: como as empresas podem se beneficiar do site para promover, divulgar a marca e fazer negócios. Não dá para negar todo o crescimento que essa rede social teve nos últimos anos: o site passou a ser acessível em mais de 20 idiomas, tem mais de 433 milhões de usuários e está presente em 200 países e territórios.

Muita coisa, né?

É lá que estão concentrados os profissionais mais antenados do mercado, com perfis segmentados por área de atuação, grupos e fóruns que discutem assuntos relevantes para o mercado de trabalho local, regional e global.

O LinkedIn já ultrapassou o número de 23 milhões de usuários só aqui no Brasil, e destacar a sua empresa nessa plataforma é, portanto, uma forma de encarar a interação virtual como um universo de oportunidades.

Durante muito tempo, o Linkedin foi conhecido apenas como uma plataforma para postar currículos e procurar emprego na internet. Muita coisa mudou e hoje ele se tornou uma rede social robusta, que oferece diversas oportunidades para marketing e vendas – quer prova maior que esses números que mostramos?

Diferente do Twitter e do Facebook, que são focados em relacionamento pessoal e, portanto, mais informal, o LinkedIn é uma plataforma líder em relacionamento voltado para negócios.

No entanto, um perfil no LinkedIn deve receber a mesma atenção que você dá à produção de conteúdo e interação de uma página no Facebook, perfil no Twitter e conta no Instagram, Snapchat, Youtube ou Periscope, por exemplo. Por isso, vamos mostrar passo a passo novas formas de promover e gerenciar seu negócio no LinkedIn.

É o marketing de conteúdo, mais uma vez presente para ajuda-lo(a) a promover sua presença na web. Essa presença da empresa no LinkedIn é importante para gerar consciência sobre a marca, e para isso, devemos enxergar a rede como uma chance de realizar um contato profissional mais aproximado com o público e com outras organizações atuantes no mercado.

Ações on-line podem ser complementadas por ações off-line, trazendo benefícios à construção da credibilidade da empresa. Basta que se conheçam as possibilidades existentes para integrar essas ações de marketing e alcançar bons resultados.

Vamos lá?

33_linkedin_markerting2

Um resumo sobre a rede

O LinkedIn se tornou uma estratégia recorrente às empresas no processo de seleção, permitindo aos recrutadores, gestores e empresários a coleta de informações sempre atualizadas dos profissionais. Além disso, permite o alcance a um grande número de candidatos com base nas atribuições das vagas e permite a troca rápida de mensagens. Tudo isso traz ganho de tempo e assertividade nas informações obtidas, já que normalmente o movimento em bancos de currículos gira em torno de 6 a 8 meses. Esse tempo todo acaba gerando uma grande desatualização de documentos, ao passo que, em redes profissionais, as informações se dão em constante atualização.

Ter um perfil adequado no LinkedIn, e a forma como ele é usado, virou inclusive um dos principais critérios de desempate em processos seletivos, tamanha sua importância.

Por ser uma rede social com foco no mundo corporativo, o LinkedIn virou ainda um verdadeiro centro de promoção, divulgação e aperfeiçoamento profissional. O networking nessa rede tornou-se uma prática comum e cotidiana para quem busca evolução profissional e tem familiaridade com os recursos que o site apresenta.

A rede é focada em negócios, é mais popular entre pessoas com maior renda e nível superior de educação.

Por que investir no LinkedIn?

Para elaborar qualquer estratégia de marketing digital, que tenha como objetivo atrair seu público através de interesse, é essencial estar presente e ativo em diversas “casas” diferentes.

Pense o LinkedIn como uma dessas “casas” onde a reputação e credibilidade são recursos que pertencem aos vencedores. Lá, o marketing de conteúdo será a principal ferramenta que qualquer equipe de comunicação utilizará para obter o engajamento e relevância diante do seu público – para notar sua presença e converter conhecimento em vendas, principalmente.

As agências de social media já estão olhando com olhos abertos e atentos para o LinkedIn, que deixou de ser uma rede tão fechada há algum tempo.

E espia só um bom argumento para jogar sua empresa nesta rede: a Econsultancy constatou através de uma pesquisa que o LinkedIn envia aproximadamente 4 vezes mais pessoas para o seu site corporativo do que o Twitter e o Facebook.

Tá certo que o Facebook e o Twitter ainda são reis nessa história de compartilhamento. Mas em se tratando de tráfego direto para o site oficial da marca ou empresa, o LinkedIn é de, de longe, o maior gerador de tráfego de referência.

Segundo o próprio portal, as notícias a respeito dos produtos e serviços divulgadas na rede estão em 3º lugar na lista dos conteúdos mais populares, com um percentual de 43% de interessados nesse tipo de atualização.

Perfil x página

Antes de qualquer coisa, vamos explicar a diferença entre perfil e página para que você já não comece errando.

O perfil é voltado para a interação entre pessoas físicas e deve ser usado somente para isso. Já as páginas no LinkedIn têm a intenção de criar seguidores e fazer com que eles interajam com a empresa, através de postagens publicadas com uma certa regularidade que vamos detalhar mais à frente.

É como a diferença que existe entre perfil e fanpage no Facebook. Assim como acontece lá, no LinkedIn os perfis profissionais poderão ser futuramente vinculados à página, porém, somente a página será a principal representatividade da empresa na rede. É importante perceber a diferença e começar da maneira mais adequada para que seja gerado tráfego desde o princípio.

Para criar uma página é bem fácil: no menu, selecione Interesses -> Empresas e, depois, clique em “Criar” (botão amarelo). Em seguida, o sistema irá pedir os dados para cadastro e não tem mistério nenhum para seguir em frente.

O que esperar de uma página eficiente

As páginas organizacionais no LinkedIn são a principal maneira de entrar em contato com admiradores da empresa, futuros candidatos em processos seletivos, sócios, parceiros e clientes em potencial, interessados nos produtos ou serviços que a marca oferece.

Uma página verdadeiramente eficiente é aquela capaz de se transformar em uma vitrine digital: estando expostas diversas informações relevantes. Alguns exemplos dessas informações: missão, visão, valores, vagas em aberto, e a listagem de alguns produtos e serviços que a empresa oferece.

Um dos pontos mais importantes dessa presença é a possibilidade de criar um relacionamento com os usuários que gerará resultados, ou seja, venda de produtos ou aquisição de serviços. Esse relacionamento é criado através de uma correta interação virtual com seus leitores e clientes e através da produção de conteúdos relevantes.

Todas essas informações, quando bem dosadas e organizadas, acabam por criar uma comunidade ao redor repleta de seguidores engajados e qualificados. Além do mais, as páginas também servem para que todos os seus funcionários ou ex-funcionários tenham possibilidade de associar seu currículo à página oficial da empresa. Isso faz com que outras empresas possam ligar grandes profissionais ao seu quadro atual ou antigo de funcionários, fazendo com que muitas outras pessoas possam também conhecer o trabalho institucional da sua página no LinkedIn.

Estética da página: não devemos esquecer

Seu público precisa reconhecer facilmente a sua marca, isso é fato. Sendo assim, invista no banner principal no topo da página: ele deve ser bem feito e ter uma alta qualidade, assim como todas as peças gráficas da marca.

De preferência, o banner utilizado no LinkedIn deve ser diferente das fotos de capa usados no Twitter e no Facebook, por exemplo. Em se tratando de uma rede profissional, é interessante que ela seja exclusiva e adore uma postura mais sóbria e formal.

A imagem de capa é a primeira coisa que seus visitantes ou seguidores observam quando acessam sua página, então, ela deve ser adequada à sua identidade visual e ao conceito que deseja transmitir na rede. É importante que as imagens sejam feitas no tamanho ideal proposto pela plataforma para não ficarem distorcidas.

Já o perfil deve ser preenchido com todas as informações necessárias, como tipo de empresa, setor, número de funcionários, site, fundação, entre outras. Preencha todos esses dados e tenha certeza que eles estão corretos e atualizados – eles são a porta de entrada para seus consumidores saberem mais informações sobre você.

Não deixe essas informações em branco: quanto mais elas existirem, mais seus clientes irão confiar na sua marca.

A descrição também deve ser desenvolvida de uma forma bem objetiva e certeira, para que sua página possa ser encontrada facilmente nas ferramentas de busca. Use as palavras-chave certas, que mais tenham a ver com o seu negócio. Talvez seja interessante incluir uma versão em inglês também, caso a sua empresa tenha um alcance mais global (ou seja uma intenção futura).

Mas caso seu produto ou serviço não consiga ser explicado somente com um texto objetivo, dá para usar um recurso imagético como um vídeo institucional de curta duração. Essa pode ser uma estratégia perfeita para explicar quem é a sua marca, mesclando texto, locução, legendas e um punhado de boas imagens.

Aproveite também para customizar a URL da página, deixando-a mais personalizada.

33_linkedin_markerting1

Estética de uma página: descrição, fotos, postagens e informações colocadas em seus devidos lugares.

Foco no conteúdo e na atualização

Sempre vimos falando aqui da importância de se dedicar à produzir conteúdos relevantes para seu público nas redes sociais. No Linkedin não é diferente.

Crie e compartilhe conteúdos que sejam interessantes para seu público, mesmo que eles não sejam de sua autoria – mas com o devido crédito, é claro. O conteúdo a ser compartilhado tanto pode ser original, gerado por profissionais ou serviços especializados, quanto pode ser composto de links ou notícias relevantes divulgados em outros meios de comunicação. E você não precisa ficar preso(a) a textos, podendo explorar também vídeos, imagens, PDF’s, links externos, e por aí vai.

Outra questão: se você quer alcançar um número maior de usuários com o seu conteúdo, faz mais sentido publicá-los em horários mais “populosos”, não é mesmo? No Linkedin os horários de pico são entre 8 da manhã e 5 da tarde, de segunda a sexta-feira. Isso significa que a grande visualização da rede se dá no horário comercial das empresas – ou seja, quem está acessando provavelmente está no trabalho.

O ideal mesmo é que você teste aquele horário que dê mais retorno e invista fundo.

Sobre a periodicidade, o Linkedin entende que aproximados 20 posts por mês podem ajudar sua empresa a alcançar 60% da sua audiência. Esse é o número ideal para não sobrecarregar a rede de conteúdos. No entanto, algumas páginas têm feito até o triplo disso, e também tem conseguido bons resultados. Esse tato, mais uma vez, vai de caso para caso, e a partir das respostas obtidas através da audiência. O importante é manter uma frequência e demonstrar que a página está ativa: novos produtos e novas vagas de emprego devem sempre representar o que há de mais atual na realidade corporativa.

Outro quesito a se pensar: no começo do trabalho no Linkedin, você pode compartilhar seu conteúdo com todos os seguidores, para manter crescente a sua base de público. Depois, você pode segmenta-los por grupos, e estabelecer uma comunicação diferente para cada um deles, direcionamento bem o que será compartilhado.

Para realizar todas essas tarefas com qualidade, talvez seja interessante pensar em uma pessoa da sua equipe para ficar responsável pelas atualizações e pela coordenação dos conteúdos postados, além de analisar se esses conteúdos possuem uma performance dentro das metas da empresa para esse canal. A depender do que você vende ou oferece, pode ser interessante dividir cada um dos segmentos entre profissionais diferentes, para deixar o processo de gerenciamento fica mais dinâmico e ágil.

Engajamento de funcionários no LinkedIn

Os funcionários são bem mais prováveis de curtir, clicar, compartilhar e comentar em uma atualização se comparado com um usuário típico do LinkedIn.

Por isso, que tal incentivar os colaboradores da empresa a se registrarem na plataforma e construírem seus perfis? Quanto mais pessoas se ligarem à página de sua empresa, mais confiável ela será. Não é preciso nem dizer que você não deve obrigar e nem coagir nenhum funcionário a tal comportamento – faça apenas um convite, mostre os benefícios e estimule a participação deles na rede.

Outra possibilidade que o LinkedIn oferece é a de fazer parte de um grupo de discussão. Para uma empresa, a estratégia é engajar os funcionários a participarem de grupos de discussão sobre temas ligados ao segmento de atuação da empresa (ou em grupos de interesse), debater novas ideias e práticas e mostrar expertise para lidar com o assunto do qual sua marca está envolvida.

Nos grupos do Linkedin é possível encontrar vários usuários que possuem interesses em comum que podem ser convertidos facilmente em seguidores da página. Você pode iniciar uma discussão sobre um assunto e então apresentar um conteúdo da empresa como adicional informativo.

Se os profissionais da sua empresa são ativos e contribuem positivamente nesses espaços, a visibilidade é aumentada por consequência, assim como a imagem associada a sua marca pode melhorar bastante.

Estimule essa participação dos funcionários nos grupos e peça para que eles escrevam recomendações positivas sobre a empresa. A página só tem a ganhar com isso.

Ferramentas de engajamento

Além de gerar tráfego qualificado para seu endereço, você pode (e deve!) acompanhar a aceitação do conteúdo por meio de métricas como impressões, curtidas, compartilhamentos e comentários. Essas mesmas métricas vão ajudar você a entender o que funciona melhor com seus seguidores e onde é possível melhorar.

Os administradores da página têm um ótimo recurso para medir o engajamento de seus seguidores. O recurso está disponível logo abaixo do avatar e nome da sua empresa, ao lado do link “Página Inicial” > “Análise”.

Na página que abre, você consegue visualizar informações gerais sobre as visitas, informações demográficas, nível de experiência dos usuários, quantas visitas são dos seus funcionários, entre outros dados interessantes.

A taxa de engajamento mensura o número total de interações, cliques e seguidores adquiridos em cada atualização que você publicou na sua página. Ou seja, a taxa de engajamento irá te dizer quantas e quais pessoas visualizaram a sua atualização e realmente se engajaram com o post (que é bem diferente de apenas passar o olho sem prestar muita atenção).

A análise do engajamento pode te mostrar quais são os pontos de melhoria e crescimento, além de ser um fator determinante para mudança daquilo que não está dando certo. A análise dessas informações podem ser bastante úteis para que seu próximo post seja mais otimizado e eficaz.

Aumente o alcance

O Linkedin oferece ainda alguns plug-ins sociais em HTML que podem ser adicionados ao seu site, postagem ou layout do blog e/ou até no e-mail marketing. O botão indica que você é um membro ativo dentro da rede e é um canal direto para conseguir novos seguidores.

Dá ainda para convidar os contatos que você possui em outras redes, como Twitter e Facebook. Aproveite essa ferramenta para chamar as pessoas até sua página.

Empresas-modelo no LinkedIn

Todo fim de ano o LinkedIn divulga uma lista das 20 melhores empresas para se trabalhar sob o ponto de vista dos brasileiros, usando como critério “alcance” e “engajamento”. Para chegar ao resultado, a rede analisa mais de 30 bilhões de interações dos usuários com as empresas e seus funcionários na rede social.

Todas as selecionadas merecem destaque por conseguiram utilizar seus perfis empresariais de maneira única para estabelecer contato, criar autoridade e fechar negócios.

Das 20 empresas mais bem classificadas, 9 nunca haviam aparecido em levantamentos anteriores. São elas: Google, Apple, Procter & Gamble, Bunge, Lojas Renner, Danone, Leroy Merlin, Pfizer e Facebook.

A Unilever Brasil ficou em primeiro lugar, e tem hoje mais de 2 milhões de seguidores.

Percebeu como são empresas de diferentes segmentos? Fato é que todas elas conhecem bem seu público-alvo, compartilham conteúdos relevantes e criaram um canal aberto de contato e permanente. Portanto, são modelos de inspiração para você estar sempre de olho.

Publicidade paga: LinkedIn Ads

Para finalizar, uma opção para as empresas que querem cortar alguns caminhos e atingir mais facilmente a visibilidade de milhares de usuários no Linkedin.

Os anúncios pagos são formas bastante interessantes de divulgação de produtos e serviços no LinkedIn. Embora não possuam ainda os recursos de segmentação que dispomos nos Facebook Ads, por exemplo, é possível ter um leque de opções de seleção do público que se pretende impactar.

Essa é uma ótima opção para alguns segmentos empresariais mais formais e menos populares, que não encontram um ambiente propício para veiculação de suas mensagens publicitárias em outras mídias sociais mais informais e populares.

Para mais detalhes sobre funcionalidades e preços, consulte esta página no site do LinkedIn.

33_linkedin_marketing1

Para fechar

Como qualquer outro canal de comunicação, o LinkedIn funciona bem se você o levar a sério e fizer esforço para entender o que ele pode fazer por você. Se o objetivo é ver resultados reais, você deve incorporar o LinkedIn em sua estratégia mais ampla de marketing de mídia social com toda certeza.

Por isso, mantenha-se sempre atualizado(a) sobre as notícias e atualizações do LinkedIn, conheça seus recursos e ferramentas e navegue através de páginas empresariais e perfis pessoais para ver como os outros utilizam essa ferramenta.

Mantenha a equipe sempre engajada, seja no compartilhamento de conteúdos postados na página, ou com conteúdos postados em grupos. Como o sucesso na rede gira em torno de conteúdo de qualidade e recomendações, a cada profissional de sua empresa que compartilha uma publicação, o seu poder de alcance será certamente maior.

E ai, já tem uma página da sua empresa no LinkedIn e descobriu como otimizá-la com estas dicas? Percebeu como o LinkedIn tem se tornado importante para a gestão virtual de empresas como uma janela de oportunidades? Aproveite a área de comentários abaixo e compartilhe suas experiências com esta rede.

Também queremos conhecer as redes criadas por vocês. Comentem aí!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>